Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Relvas: veja os gastos do telemóvel de Tomar

Portugal

  • 333

Enquanto presidente da Assembleia Municipal de Tomar, teve, até ao ano passado, um telemóvel pago pela Câmara. A VISÃO divulga os gastos, que dispararam em ano de eleições VEJA AQUI AS CONTAS

  • VEJA A GALERIA DE FOTOS NO FINAL DESTA PÁGINA

O ministro que tutela a área das autarquias é viciado no telemóvel. Possui vários, de resto, alguns decorrentes das suas funções. Um, de uso pessoal, mantém o mesmo número há muitos anos, coisa de que ele, os amigos e militantes do PSD se gabam. Durante dez anos, pelo menos, o presidente da Assembleia Municipal de Tomar teve igualmente à disposição um telemóvel pago pela autarquia, conforme confirmou à VISÃO fonte oficial da presidência. Ao todo, o município pagou, numa década, mais de 30 mil euros de telemóvel a Miguel Relvas.

Para se ter uma ideia das despesas, a VISÃO procurou exemplos nas duas maiores câmaras do País. Em 2006, ano em que Relvas gastou ao município de Tomar quase 4 mil euros em chamadas, a autarquia de Lisboa, então presidida por Carmona Rodrigues (PSD), estabelecera 85 euros como plafond mensal máximo para os seus autarcas e funcionários. Acima disso, pagavam os próprios. Os dados do município do Porto são mais atuais: Valente de Oliveira, presidente da assembleia municipal, tem direito a telemóvel, mas prescindiu dele. Se o usasse, seria com o plafond máximo de 135 euros. A última fatura de Relvas em Tomar é de 27 de junho do ano passado, seis dias após ter tomado posse no Governo PSD/CDS. O valor acumulado, nesse período, ultrapassava 1 200 euros.

Segundo dados do próprio executivo camarário de Tomar, a dívida global da autarquia é, hoje, de 39 milhões de euros, 22 milhões dos quais à banca. A Lei dos Compromissos, bandeira do ministro Adjunto aprovada por este Governo, proíbe que as entidades públicas assumam compromissos financeiros para os quais não tenham previsão de receitas, nos 90 dias seguintes. "[Os autarcas] ainda não se convenceram de que Portugal está numa situação particularmente difícil. Que Portugal esteve na bancarrota. Que tem de fazer cortes", afirmou Relvas, em recente entrevista ao semanário O Mirante, acrescentando: "As autarquias, em Portugal, estão a cortar menos do que Portugal está a cortar."

TELEMÓVEL MIGUEL RELVAS (GASTOS ANUAIS)

  • Ano 2002 - 1 598,50€
  • Ano 2003 - 934,40€
  • Ano 2004 - 947,79€
  • Ano 2005 - 559,49€
  • Ano 2006 - 3 896,03€
  • Ano 2007 - 5 623,32€
  • Ano 2008 - 4 858,29€
  • Ano 2009 - 7 444,46€ (ano de eleições europeias, legislativas e autárquicas)
  • Ano 2010 - 3 391,55€
  • Ano 2011- 1 251,03€ (até o dia 27 de junho de 2011; as eleições legislativas que deram a vitória ao PSD realizaram-se a 5 de junho e o Governo tomou posse a 21; Posteriormente o número do telemóvel foi cedido à Secretaria-Geral da Presidência do Conselho de Ministros.)

PERÍODOS DE FACTURAÇÃO MAIS ELEVADA

  • De 23.08 a 22.09.2007 - 1 014,83€
  • De 23.03 a 22.04.2008 - 1 271,19€
  • De 23.12.2008 a 22.01.2009 - 1 250,03€
  • De 23.03 a 22.04.2009 - 1 229,96€
  • De 23.10 a 22.11.2009 - 1 039,08€
  • De 23.11 a 22.12.2009 - 1 008,16€

GASTOS DETALHADOS DE 2009 (ANO DE TRÊS ELEIÇÕES - Europeias, Legislativas e Autárquicas)

  • De 23 dezembro 2008 a 22 janeiro de 2009 - 1 250,03€
  • De 23 janeiro a 22 fevereiro 2009 - 231,24€
  • De 23 fevereiro a 22 março 2009 - 195,46€
  • De 23 março a 22 abril 2009 - 1 229,96€
  • De 23 abril a 22 maio 2009 - 217,46€
  • De 23 maio a 22 junho 2009 - 500,91€
  • De 23 junho a 22 julho 2009 - 622,15€
  • De 23 julho a 22 agosto 2009 - 136,03€
  • De 23 agosto a 22 setembro 2009 - 226,06€
  • De 23 setembro a 22 outubro 2009 - 787,92€
  • De 23 Outubro a 22 novembro 2009 - 1 039,08€
  • De 23 novembro a 22 dezembro 2009 - 1 008,16€

NOTAS

  • O presidente da Câmara de Tomar, Carlos Carrão, confirmou à VISÃO que "todas as despesas de telemóvel foram pagas pela Câmara".
  • A Câmara só apresenta registos do telemóvel após janeiro de 2002.
  • Segundo a lei, as assembleias municipais reúnem-se, de forma ordinária, cinco vezes por ano, podendo o presidente convocar sessões extraordinárias.
  • Entre 17 de março de 2002 e 17 de julho de 2004, Miguel Relvas ocupou o cargo de Secretário de Estado da Administração Local.

Leia a história de "Como Miguel se tornou Relvas" na VISÃO desta quinta-feira, mas veja já aqui a Galeria de Fotos

Foto de família – Miguel é o rapaz de óculos
1 / 17

Foto de família – Miguel é o rapaz de óculos

COLÉGIO NUNO ÁLVARES, de Tomar - Famoso pelo rigor do ensino e pela disciplina, acolheu Relvas e os dois irmãos em 1974
2 / 17

COLÉGIO NUNO ÁLVARES, de Tomar - Famoso pelo rigor do ensino e pela disciplina, acolheu Relvas e os dois irmãos em 1974

Miguel Relvas - Não foi um aluno brilhante no Colégio Nun’Álvares, de Tomar, mas conseguiu vencer adversidades várias e começou a dar nas vistas na JSD, nos anos 80
3 / 17

Miguel Relvas - Não foi um aluno brilhante no Colégio Nun’Álvares, de Tomar, mas conseguiu vencer adversidades várias e começou a dar nas vistas na JSD, nos anos 80

MILITÂNCIA Miguel Relvas foi diretor do jornal do colégio e escreveu notas biográfi cas sobre Sá Carneiro em boletins da JSD
4 / 17

MILITÂNCIA Miguel Relvas foi diretor do jornal do colégio e escreveu notas biográfi cas sobre Sá Carneiro em boletins da JSD

JOTAS Relvas, no seu tempo de JSD, entre amigos de lutas estudantis e militância política
5 / 17

JOTAS Relvas, no seu tempo de JSD, entre amigos de lutas estudantis e militância política

RELVAS E ELSA Amigos muito chegados desde o colégio, ela reconhece que ele levava a política «mais a sério»
6 / 17

RELVAS E ELSA Amigos muito chegados desde o colégio, ela reconhece que ele levava a política «mais a sério»

FORMIGUINHA Relvas vivia para as reuniões e lutas partidárias. Aqui, com Carlos Coelho, que chegaria a secretário-geral, e Casimiro Serra, da JSD
7 / 17

FORMIGUINHA Relvas vivia para as reuniões e lutas partidárias. Aqui, com Carlos Coelho, que chegaria a secretário-geral, e Casimiro Serra, da JSD

SEM TRAIÇÕES - João Moura, de Ourém, e Relvas, num evento da JSD. «Quando me quiseres criticar, avisa-me», disse-lhe Miguel
8 / 17

SEM TRAIÇÕES - João Moura, de Ourém, e Relvas, num evento da JSD. «Quando me quiseres criticar, avisa-me», disse-lhe Miguel

PODER Desde cedo, Miguel se sentou à mesa do cavaquismo e das fi guras mais infl uentes. Aqui, com Cavaco, Couto dos Santos e Marcelo Rebelo de Sousa
9 / 17

PODER Desde cedo, Miguel se sentou à mesa do cavaquismo e das fi guras mais infl uentes. Aqui, com Cavaco, Couto dos Santos e Marcelo Rebelo de Sousa

COM PEDRO O atual Primeiro -Ministro foi uma aposta pessoal de Relvas desde as «guerras» da JSD com Cavaco
10 / 17

COM PEDRO O atual Primeiro -Ministro foi uma aposta pessoal de Relvas desde as «guerras» da JSD com Cavaco

FIDELIDADES Apoiante de Pedro Pinto, Relvas veria, anos depois, o ex-presidente da JSD entrar-lhe em casa, de manhã, para jogar Football Manager
11 / 17

FIDELIDADES Apoiante de Pedro Pinto, Relvas veria, anos depois, o ex-presidente da JSD entrar-lhe em casa, de manhã, para jogar Football Manager

VÍTIMA? Relvas sempre teve relação próxima com jornalistas. Hoje responsabiliza a Imprensa pelos «casos» em que se vê envolvido
12 / 17

VÍTIMA? Relvas sempre teve relação próxima com jornalistas. Hoje responsabiliza a Imprensa pelos «casos» em que se vê envolvido

MEU BRASIL Jorge Bornhausen, Paulo Elísio e César Maia. Três amigos das suas andanças brasileiras
13 / 17

MEU BRASIL Jorge Bornhausen, Paulo Elísio e César Maia. Três amigos das suas andanças brasileiras

A PERGUNTA Aguentará o Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho sem sacrificar o seu operacional no Governo?
14 / 17

A PERGUNTA Aguentará o Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho sem sacrificar o seu operacional no Governo?

VIAGENS Brasil e Angola têm sido os destinos preferidos de Relvas para contactos políticos e negócios
15 / 17

VIAGENS Brasil e Angola têm sido os destinos preferidos de Relvas para contactos políticos e negócios

IRREPETÍVEL? Passos Coelho e Laura acompanharam Relvas e Paula, a agora ex-mulher do ministro, na última Festa dos Tabuleiros
16 / 17

IRREPETÍVEL? Passos Coelho e Laura acompanharam Relvas e Paula, a agora ex-mulher do ministro, na última Festa dos Tabuleiros

FIRME? Cresce a contestação à continuação de Relvas no Governo, mas os amigos dizem que ele é duro de roer. Será?
17 / 17

FIRME? Cresce a contestação à continuação de Relvas no Governo, mas os amigos dizem que ele é duro de roer. Será?