Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal visto lá fora: Um país de velhos e pobres?

Portugal

  • 333

Idosos, apáticos, pobres, mas também indignados. O nosso País visto pelas lentes dos fotógrafos das agências internacionais

Um pescador olha Lisboa, desde Cacilhas, em Almada, na margem sul do Tejo.
1 / 30

Um pescador olha Lisboa, desde Cacilhas, em Almada, na margem sul do Tejo.

Nem os saldos ajudaram os comerciantes nesta última campanha de promoções. O consumo interno tem caído a pique.
2 / 30

Nem os saldos ajudaram os comerciantes nesta última campanha de promoções. O consumo interno tem caído a pique.

No Bairro Alto, em Lisboa, espera-se. O País desespera.
3 / 30

No Bairro Alto, em Lisboa, espera-se. O País desespera.

Um país de velhos, agarrado à muleta da ajuda externa, que nem assim ajuda a caminhar melhor.
4 / 30

Um país de velhos, agarrado à muleta da ajuda externa, que nem assim ajuda a caminhar melhor.

Termina o dia de vendas no Mercado da Ribeira, em Lisboa. É tempo de varrer a casa.
5 / 30

Termina o dia de vendas no Mercado da Ribeira, em Lisboa. É tempo de varrer a casa.

A Igreja do Loreto, ao Largo Camões, em Lisboa, refletindo a mítica luz da capital portuguesa.
6 / 30

A Igreja do Loreto, ao Largo Camões, em Lisboa, refletindo a mítica luz da capital portuguesa.

À saída da estação do metro Baixa-Chiado os passageiros saem debaixo da terra para ver o dia. E antes de voltaram às sombras um cartaz lembra-os que 2 de Março é dia de manifestação: "Que se Lixe a Troika - O Povo é quem mais ordena".
7 / 30

À saída da estação do metro Baixa-Chiado os passageiros saem debaixo da terra para ver o dia. E antes de voltaram às sombras um cartaz lembra-os que 2 de Março é dia de manifestação: "Que se Lixe a Troika - O Povo é quem mais ordena".

O último que feche a porta? Bem podia ser a ideia-resumo de um país à procura de novas saídas para a crise, aqui retrada na imagem de um homem que deixa o Mercado da Ribeira, em Lisboa.
8 / 30

O último que feche a porta? Bem podia ser a ideia-resumo de um país à procura de novas saídas para a crise, aqui retrada na imagem de um homem que deixa o Mercado da Ribeira, em Lisboa.

Ovos biológicos, vendidos numa rua de Lisboa.
9 / 30

Ovos biológicos, vendidos numa rua de Lisboa.

A espera nos transportes públicos tornou-se mais penosa para os utentes: mais greves, cortes nos serviços, passes e bilhetes mais caros. As principais empresas de transporte perderam milhões de passageiros no último ano.
10 / 30

A espera nos transportes públicos tornou-se mais penosa para os utentes: mais greves, cortes nos serviços, passes e bilhetes mais caros. As principais empresas de transporte perderam milhões de passageiros no último ano.

A meca da diversão noturna em Lisboa, o Bairro Alto, não é só pródiga em bebidas baratas: rabiscos de gosto duvidoso estragam a cidade e ofendem quem se dedica à arte do grafiti.
11 / 30

A meca da diversão noturna em Lisboa, o Bairro Alto, não é só pródiga em bebidas baratas: rabiscos de gosto duvidoso estragam a cidade e ofendem quem se dedica à arte do grafiti.

O Terreiro do Paço, em Lisboa, continua a ser a grande Praça do país.
12 / 30

O Terreiro do Paço, em Lisboa, continua a ser a grande Praça do país.

Um homem caminha em direção ao Terreiro do Paço, em Lisboa.
13 / 30

Um homem caminha em direção ao Terreiro do Paço, em Lisboa.

Garrett McNamara aguarda antes de se lançar a mais uma das ondas gigantes na Praia do Norte, na Nazaré, a 31 de janeiro. O surfusta americano pôs o mundo a falar da vila piscatória portuguesa, por causa da, provalmente, maior onda alguma surfada no mundo, feito que conseguido naquela localidade.
14 / 30

Garrett McNamara aguarda antes de se lançar a mais uma das ondas gigantes na Praia do Norte, na Nazaré, a 31 de janeiro. O surfusta americano pôs o mundo a falar da vila piscatória portuguesa, por causa da, provalmente, maior onda alguma surfada no mundo, feito que conseguido naquela localidade.

A crise toca a todos, mas há quem o sinta mais. As pessoas com deficiência têm-se manifestado contra os cortes importos pelas medidas de austeridade. A 7 de Fevereiro, manifestaram-se frente ao Ministério das Finanças, em Lisboa.
15 / 30

A crise toca a todos, mas há quem o sinta mais. As pessoas com deficiência têm-se manifestado contra os cortes importos pelas medidas de austeridade. A 7 de Fevereiro, manifestaram-se frente ao Ministério das Finanças, em Lisboa.

O Carnaval não deixou de ser celebrado, mesmo sem tolerância de ponto. Aqui, alunos da escola de circo Chapitô mostram as suas artes no Rossio, em Lisboa.
16 / 30

O Carnaval não deixou de ser celebrado, mesmo sem tolerância de ponto. Aqui, alunos da escola de circo Chapitô mostram as suas artes no Rossio, em Lisboa.

Em Sesimbra um vendedor de balões espera que o corso carnavalesco, animado pelas escolas de samba, traga mais alegria ao negócio.
17 / 30

Em Sesimbra um vendedor de balões espera que o corso carnavalesco, animado pelas escolas de samba, traga mais alegria ao negócio.

"É comprar, é comprar freguesas". Os velhos pregões tentam entusiasmar a clientela, que olha e mexe mais do que o que compra, no Mercado de Benfica, em Lisboa.
18 / 30

"É comprar, é comprar freguesas". Os velhos pregões tentam entusiasmar a clientela, que olha e mexe mais do que o que compra, no Mercado de Benfica, em Lisboa.

Os preços têm caído, mas nem isso faz com que as pessoas não contem os tostões. E, no caso deste talho, no Mercado de Benfica, é fácil comparar os preços, antes de comprar.
19 / 30

Os preços têm caído, mas nem isso faz com que as pessoas não contem os tostões. E, no caso deste talho, no Mercado de Benfica, é fácil comparar os preços, antes de comprar.

Alfama é um mundo à parte dentro da agitada vida lisboeta. Um bairro onde há vida de bairro. E tempo para falar...
20 / 30

Alfama é um mundo à parte dentro da agitada vida lisboeta. Um bairro onde há vida de bairro. E tempo para falar...

... para ler o jornal...
21 / 30

... para ler o jornal...

... para ir visitar a vizinha do lado...
22 / 30

... para ir visitar a vizinha do lado...

... estender a roupa à janela...
23 / 30

... estender a roupa à janela...

... fazer uma pausa para falar com o vizinho, antes de ter subir as larirínticas ruas para entregar uma botija de gás.
24 / 30

... fazer uma pausa para falar com o vizinho, antes de ter subir as larirínticas ruas para entregar uma botija de gás.

Alfama é um bairro onde ainda resiste o comércio local, como a loja deste sapateiro, que protege da luz solar os sapatos dos seus fregueses.
25 / 30

Alfama é um bairro onde ainda resiste o comércio local, como a loja deste sapateiro, que protege da luz solar os sapatos dos seus fregueses.

Alfama é um bairro onde as crianças ainda brincam na rua, ainda que uma arma, mesmo de plástico, não seja coisa com que se brinque...
26 / 30

Alfama é um bairro onde as crianças ainda brincam na rua, ainda que uma arma, mesmo de plástico, não seja coisa com que se brinque...

Todos os meios foram ser usados para mobilizar para a manifestação de 2 de Março. A 24 de Fevereiro foi pintado este mural, na Rua Marquês da Fronteira, em Campolide, Lisboa.
27 / 30

Todos os meios foram ser usados para mobilizar para a manifestação de 2 de Março. A 24 de Fevereiro foi pintado este mural, na Rua Marquês da Fronteira, em Campolide, Lisboa.

Nas Azenhas do Mar, um aldeia no concelho de Sintra, uma mulher olha o horizonte. Será que o mito do D.Sebastião ainda pega?
28 / 30

Nas Azenhas do Mar, um aldeia no concelho de Sintra, uma mulher olha o horizonte. Será que o mito do D.Sebastião ainda pega?

Se quem espera desespera, o que sentirá este produtor de produtos hortícolas enquanto aguarda que os clientes lhe levem os nabos que foi vender no Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, em Loures?
29 / 30

Se quem espera desespera, o que sentirá este produtor de produtos hortícolas enquanto aguarda que os clientes lhe levem os nabos que foi vender no Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, em Loures?

Aparentemente indiferente à crise a Portugal Telecom anunciou que, em 2012, registou um lucro de 230,3 milhões de euros. Foi menos 32% do que em igual período do ano anterior. Ainda assim, os valores são astronómicos.
30 / 30

Aparentemente indiferente à crise a Portugal Telecom anunciou que, em 2012, registou um lucro de 230,3 milhões de euros. Foi menos 32% do que em igual período do ano anterior. Ainda assim, os valores são astronómicos.