Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Miguel Relvas sob suspeita

Portugal

  • 333

A saída do Governo do "braço-direito" de Passos Coelho pode apressar as investigações do processo Tecnoforma. A audição de Relvas estará para breve

O processo Tecnoforma, que tem por base indícios de favorecimento pelo Estado a uma empresa de que Pedro Passos Coelho foi administrador, quando Miguel Relvas era secretário de Estado de um Governo de Durão Barroso, está a avançar.

Helena Roseta, e dois outros membros da direcção da Ordem dos Arquitectos, à data dos factos, 2003, já testemunharam no Departamento Central de Investigação e Acção Penal. Miguel Relvas era o responsável pelo Programa Foral, que terá representado 4,2 milhões de euros na facturação da Tecnoforma.

A sua saída do Governo, na semana passada, vai acelerar o ritmo da investigação, uma vez que fica disponível para um depoimento presencial, não dispondo da prerrogativa de responder por escrito às dúvidas do Ministério Público.

A audição de Relvas estará para breve, sabe a VISÃO. A procuradora-Geral da República reafirma que, até ao momento, o processo não corre contra "pessoas determinadas".

  • SAIBA MAIS NA VISÃO DESTA SEMANA, JÁ NAS BANCAS

DISPONÍVEL TAMBÉM: