Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Manifestantes protestam contra austeridade em frente ao Palácio de Belém

Portugal

  • 333

Milhares de pessoas voltaram às ruas para protestar contra as medidas de austeridade com os conselheiros de Estado reunidos no Palácio de Belém. VEJA AS FOTOS DA MANIFESTAÇÃO

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
1 / 16

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
2 / 16

moonspell

moonspell
3 / 16

moonspell

moonspell
4 / 16

moonspell

moonspell
5 / 16

moonspell

moonspell
6 / 16

moonspell

moonspell
7 / 16

moonspell

moonspell
8 / 16

moonspell

moonspell
9 / 16

moonspell

moonspell
10 / 16

moonspell

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
11 / 16

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
12 / 16

moonspell

moonspell
13 / 16

moonspell

moonspell
14 / 16

moonspell

moonspell
15 / 16

moonspell

moonspell
16 / 16

moonspell

Milhares de pessoas marcaram presença em frente ao Palácio de Belém, em Lisboa, onde decorreu o Conselho de Estado convocada por Cavaco Silva. Na sala da reunião ouviram-se os gritos a pedir a demissão do Governo e o rebentamento de petardos. 

A reunião do Conselho de Estado, durou oito horas, terminou quando faltavam cinco minutos para a uma hora da manhã. Os manifestantes aguardaram pela saída dos conselheiros que foram apupados: "Gatunos e o povo unido jamais será vencido" foram as palavras de ordem mais ouvidas.

De acordo com o comunicado emitido no final do encontro, o Governo informou o Conselho de Estado de que está disponível para, no quadro da concertação social, "estudar alternativas" à alteração da Taxa Social Única (TSU).

Cinco homens foram detidos em Lisboa por arremesso de petardos durante o protesto. O comando metropolitano da PSP reforçou a segurança junto ao Palácio de Belém.

Sem detalhar a idade dos detidos, a mesma fonte sublinhou que até às 21:30 estes eram os únicos elementos detidos em resultado da vigília em frente à residência oficial da Presidência da República, num dia em que Cavaco Silva convocou os conselheiros de Estado para escutar as diferentes visões sobre a atualidade política e económica portuguesa.

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, saiu da reunião do Conselho de Estado por volta das elas 18:30. Vítor Gaspar deixou o encontro cerca de uma hora e quinze minutos após o início do encontro do órgão consultivo do Presidente da República.

Cavaco Silva reúniu o Conselho de Estado para analisar a crise da Zona Euro e a situação nacional, marcada pela contestação à Taxa Social Única e pelo clima de instabilidade na coligação governativa. 

A reunião do Conselho de Estado continuou sem Vítor Gaspar, que participou  como convidado. O ministro das Finanças fez uma apresentação sobre as contas do país aos 19 membros: cinco eleitos pela Assembleia  da República, cinco designados pelo chefe de Estado e nove por inerência  dos cargos que desempenham ou que ocuparam.

Os conselheiros de Estado eleitos pelo Parlamento são António José Seguro,  Manuel Alegre, Francisco Pinto Balsemão, Luís Marques Mendes e Luís Filipe  Menezes.  

Os conselheiros de Estado designados pelo Presidente da República são  João Lobo Antunes, Marcelo Rebelo de Sousa, Leonor Beleza, Vítor Bento e  António Bagão Félix.  

Os manifestantes vaiaram os carros dos conselheiros à medida que foram entrando pelo portão principal  da residência oficial do Presidente da República.