Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Festa do Avante! em imagens

Portugal

  • 333

VEJA A GALERIA DE FOTOS da edição de 2013 da Festa do Avante!

.
1 / 22

.

Que inferno é este, que pinta o planalto com o amarelo das ervas secas e o põe como pano de fundo de azinheiras, sobreiros e dos zimbros, tão característicos do Parque Natural do Douro Internacional?
2 / 22

Que inferno é este, que pinta o planalto com o amarelo das ervas secas e o põe como pano de fundo de azinheiras, sobreiros e dos zimbros, tão característicos do Parque Natural do Douro Internacional?

Todos os dias Venâncio Maria Paulo faz caminhadas pela sua aldeia. No bolso leva uma foto dos tempos em que, nos anos 50, os pais descobriram com um arado, um achado da Idade do Ferro
3 / 22

Todos os dias Venâncio Maria Paulo faz caminhadas pela sua aldeia. No bolso leva uma foto dos tempos em que, nos anos 50, os pais descobriram com um arado, um achado da Idade do Ferro

Nas noites quentes, os habitantes da aldeia (bem visto, são quase todos familiares) sentam-se num banco a contar lhonas (histórias em mirandês)
4 / 22

Nas noites quentes, os habitantes da aldeia (bem visto, são quase todos familiares) sentam-se num banco a contar lhonas (histórias em mirandês)

Casimiro Pires foi pauliteiro na juventude, mas não esqueceu os lhaços (cantigas). Emociona-se ao recordá-los na sala de sua casa
5 / 22

Casimiro Pires foi pauliteiro na juventude, mas não esqueceu os lhaços (cantigas). Emociona-se ao recordá-los na sala de sua casa

Ângelo Arribas é gaiteiro desde miúdo. Hoje vê, satisfeito, que há muitos mais gaiteiros do que quando ele começou a tocar, reavivando a tradição.
6 / 22

Ângelo Arribas é gaiteiro desde miúdo. Hoje vê, satisfeito, que há muitos mais gaiteiros do que quando ele começou a tocar, reavivando a tradição.

Fernando Garcia levanta-se cedo para ir pescar para o Douro. Traz bogas, barbos, carpas, lúcios…
7 / 22

Fernando Garcia levanta-se cedo para ir pescar para o Douro. Traz bogas, barbos, carpas, lúcios…

As amigas Angelina e Angélica põe a conversa em dia à sombra de uma casa em ruínas, na parte antiga da aldeia. Aos turistas, que passam a perguntar por um dos miradouros mais conhecidos do Douro Internacional, falam numa mistura de português com mirandês.
8 / 22

As amigas Angelina e Angélica põe a conversa em dia à sombra de uma casa em ruínas, na parte antiga da aldeia. Aos turistas, que passam a perguntar por um dos miradouros mais conhecidos do Douro Internacional, falam numa mistura de português com mirandês.

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos
9 / 22

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos
10 / 22

As irmãs Anabela e Bernardete Galego deixaram os empregos que tinham em Braga para regressar à aldeia natal. É lá que agora estão a montar uma cozinha regional. Para já, cozem pão e doces que desaparecem num abrir e fechar de olhos

Ao fim da tarde, os abutres a planar sobre o Douro são às dezenas
11 / 22

Ao fim da tarde, os abutres a planar sobre o Douro são às dezenas

À volta da aldeia, eram muitos os moinhos de água. Um pode visitar-se graças à Frauga, a Associação criada para perpetuar memórias e desenvolver a aldeia
12 / 22

À volta da aldeia, eram muitos os moinhos de água. Um pode visitar-se graças à Frauga, a Associação criada para perpetuar memórias e desenvolver a aldeia

No Castro de Cigaduenha desafiam-se as vertigens para ver uma paisagem imponente
13 / 22

No Castro de Cigaduenha desafiam-se as vertigens para ver uma paisagem imponente

Do miradouro da Fraga do Puio vê-se o rio Douro formar uma curva apertada entre as imponentes arribas
14 / 22

Do miradouro da Fraga do Puio vê-se o rio Douro formar uma curva apertada entre as imponentes arribas

.
15 / 22

.

A aldeia, com um casario em pedra quartzítica, apesar de integrar a Rota das Aldeias do Xisto, fica na encosta da Serra do Espinhal e preserva ainda alguns costumes comunitários
16 / 22

A aldeia, com um casario em pedra quartzítica, apesar de integrar a Rota das Aldeias do Xisto, fica na encosta da Serra do Espinhal e preserva ainda alguns costumes comunitários

Todas as manhãs, Benilde Vaz ou o vizinho Valdemar Gosinho, abrem a porta dos currais e conduzem as cabras de ambos pelos caminhos que dão acesso à Serra
17 / 22

Todas as manhãs, Benilde Vaz ou o vizinho Valdemar Gosinho, abrem a porta dos currais e conduzem as cabras de ambos pelos caminhos que dão acesso à Serra

Lucília Galha tem em casa a buzina que os pastores antigamente usavam para reunir o gado de toda a aldeia
18 / 22

Lucília Galha tem em casa a buzina que os pastores antigamente usavam para reunir o gado de toda a aldeia

José Vaz é com 83 anos o mais velho habitante da aldeia. Adora falar com os turistas, contar histórias dos tempos em que o rebanho de Ferraria tinha mais de 1000 cabeças de gado. Aqui, está junto aos cerca de 50 currais da aldeia, bem preservados
19 / 22

José Vaz é com 83 anos o mais velho habitante da aldeia. Adora falar com os turistas, contar histórias dos tempos em que o rebanho de Ferraria tinha mais de 1000 cabeças de gado. Aqui, está junto aos cerca de 50 currais da aldeia, bem preservados

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa
20 / 22

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa
21 / 22

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa
22 / 22

Benilde Vaz emigrou para Moçambique, mas não esqueceu como se faz o queijo com o leite da ordenha. Mostra a arte aos turistas, na cozinha de sua casa