Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ferreira Leite aponta Santana Lopes como "exemplo democrático"

Portugal

A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, apontou ontem o deputado e candidato social-democrata à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, Pedro Santana Lopes, como "exemplo democrático para todos os elementos do partido"

visao.pt

Num jantar com o grupo parlamentar do PSD, na Assembleia da República, Manuela Ferreira Leite pediu desculpa aos restantes deputados por "salientar o caso do Pedro Santana Lopes", que considerou "exemplar em termos de capacidade de servir um partido".



"Foi presidente do partido, foi primeiro-ministro e foi deputado depois de ter exercido essas funções. E, depois de o partido neste momento ter definido como critério que alguém candidato a uma autarquia não se devia candidatar a deputado por uma questão de seriedade perante o eleitorado, o Pedro Santana Lopes teve a humildade de optar por se candidatar a uma autarquia", elogiou.



"É verdadeiramente notável em termos de humildade democrática que desejo que todas as pessoas soubessem protagonizar. Efectivamente, é um exemplo democrático para todos os elementos do partido", acrescentou a presidente do PSD, enquanto Pedro Santana Lopes, sentado na mesa da comunicação social, lhe acenava em sinal de agradecimento.



"Peço desculpa por ter feito este sublinhado especial mas penso que era merecido", disse ainda a presidente do PSD.



Durante a sua intervenção, Ferreira Leite descreveu a actual legislatura como "uma legislatura difícil" para o PSD, porque foi "uma legislatura na oposição, ainda por cima com maioria absoluta" e com "mudanças na liderança do partido e na liderança do grupo parlamentar".



No seu entender, o grupo parlamentar do PSD mostrou a sua força ao "resistir a toda esta evolução que foi complexa" e "todos os deputados" sociais-democratas se comportaram ao longo da legislatura de "forma exemplar".



"Felizmente, estamos a acabar esta legislatura da melhor forma possível, com capacidade de nos apresentarmos como alternativa ao poder", concluiu.