Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Compra de jerricãs "dispara" com ameaça de greve dos motoristas

Portugal

CARLOS COSTA/ Getty Images

A ameaça de greve dos motoristas de matérias perigosas está a originar uma "corrida" à compra de jerricãs, encontrando-se este recipiente esgotado em várias lojas do país

"Isto tem sido uma loucura. Até aqueles que tínhamos em exposição foram vendidos", contou à Lusa um funcionário da loja de acessórios de automóveis de Portimão, no distrito de Faro.

A mesma fonte referiu que, desde o início do mês, as vendas naquela loja da cidade algarvia "dispararam" e que a média por pessoa tem sido de três a quatro jerricãs.

"Outro dia veio cá um senhor e comprou dois jerricãs de 20 litros e outro de 10 litros", contou.

O mesmo cenário repete-se numa loja da mesma cadeia, mas em Braga, onde também já não existem jerricãs disponíveis.

"O aumento da procura começou há cerca de 15 dias e neste momento está totalmente esgotado", disse à Lusa uma funcionária daquela loja.

O aumento da procura e venda de jerricãs também se verificou num dos principais revendedores deste recipiente, com sede na cidade do Porto.

Segundo dados enviados pela empresa à Lusa, entre o dia 01 de julho e o dia de hoje foram vendidos 16 mil jerricãs, mais de nove mil do que em igual período do ano transato.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e o Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias (SIMM) convocaram uma greve a iniciar na segunda-feira, e por tempo indeterminado.

Esta greve ameaça parar o país em pleno mês de agosto, uma vez que vai afetar todas as tipologias de transporte de todos os âmbitos e não apenas o transporte de matérias perigosas. O abastecimento às grandes superfícies, à indústria e serviços deve ser afetado.

O Governo decretou na quarta-feira serviços mínimos entre 50% e 100% para a greve dos motoristas de mercadorias que se inicia no dia 12 por tempo indeterminado.

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA - Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.

O Governo decretou ainda serviços mínimos de 100% para abastecimento de combustíveis para instalações militares, serviços de proteção civil, bombeiros e forças de segurança.

Lusa

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.