Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Feliciano Barreiras Duarte indicado para deputado. Decisão nas mãos de Rio

Portugal

Marcos Borga

Após uma legislatura marcada pela adulteração do currículo, pela indicação de uma morada incorreta e pelo voto-fantasma num Orçamento do Estado, o polémico ex-secretário-geral do PSD volta a ser proposto pela concelhia do Bombarral. Distrital de Leiria não veta o nome e direção nacional admite ter um "caso bicudo" para resolver

Feliciano Barreiras Duarte, o primeiro secretário-geral do PSD na era Rui Rio, está novamente na calha para ser deputado. Apesar de o atual mandato ter ficado marcado por três casos que vieram a ditar a demissão das funções partidárias, a concelhia "laranja" do Bombarral propôs, por unanimidade, o antigo secretário de Estado para candidato pelo círculo eleitoral de Leiria.

O líder concelhio confirma à VISÃO o desfecho da votação de sexta-feira, 21, e procura desdramatizar a escolha. "Ele não cometeu nenhum crime. A [direção] nacional definiu requisitos [para os candidatos] e ele cumpre esses requisitos", diz Nuno Mota, referindo-se a Barreiras Duarte como "a pessoa com o perfil indicado, na opinião da concelhia do Bombarral, para ser candidato".

Para o presidente daquela estrutura local, tem havido um "linchamento político" a Barreiras Duarte, que, acrescenta, tem trabalho "meritório" para apresentar, com resultados tanto para o concelho do Bombarral como para o distrito de Leiria.

Por isso, Nuno Mota menoriza as polémicas sobre o currículo forjado - Barreiras Duarte referia ter sido "visiting scholar" numa universidade dos EUA -, sobre a indicação de uma morada incorreta (aumentando indevidamente as ajudas de custo que recebia do Parlamento) e ainda acerca de uma presença-fantasma na votação do Orçamento do Estado de 2019. "Alguém o quis tramar", resume o dirigente local, que remete os juízos políticos e morais para as instâncias superiores. "Não me compete fazer essa avaliação", atira.

Esta quarta-feira, 26, à noite, haverá uma reunião alargada da Comissão Política Distrital do PSD/Leiria para avaliar as indicações das 16 secções do distrito. O encontro servirá para analisar os nomes propostos pelas concelhias - dos mais pacíficos aos mais controversos, como o de Barreiras Duarte.

Em declarações à VISÃO, o presidente da distrital social-democrata mostra-se cauteloso. “Não temos nenhum veto a nenhum nome que nos chegue das concelhias. Analisaremos as propostas e iremos refletir sobre isso”, nota Rui Rocha, contornando as questões sobre a alegada toxicidade eleitoral de Barreiras Duarte, que várias fontes locais não se cansam de realçar.

Não havendo "chumbo" da distrital, a permanência do antigo secretário de Estado Adjunto de Miguel Relvas no Parlamento fica nas mãos de Rui Rio. E entre a direção o assunto não é consensual. Há quem defenda que Feliciano pode continuar, mas há quem considere que as listas para as legislativas implicarão demasiadas dores de cabeça para o presidente do partido - e que, portanto, esta seria dispensável.

"É mais um caso bicudo", ouviu a VISÃO de um alto dirigente "laranja", que reconhece o dano que uma só personalidade pode vir a causar, embora outra fonte muito bem colocada saliente que o tempo para vetos ou aprovações ainda não chegou. Só a 8 de julho, quando a Comissão Política Nacional iniciar as negociações com as distritais, esse cenário poderá vir a colocar-se. Apenas Rio, conhecido por segurar os seus até ao limite, poderá decidir se Barreiras Duarte vai ou não a jogo.

Contactado pela VISÃO, Feliciano recusa fazer comentários: “Prometi a mim mesmo e a pessoas do meu distrito que falaram comigo que não me pronunciaria para não perturbar este processo.”

Barreiras Duarte foi eleito cinco vezes para a Assembleia da República. A primeira foi em 1999 e a última em 2015, quando o PSD foi a votos coligado com o CDS. Nessa ocasião, o ex-chefe de gabinete de Pedro Passos Coelho foi segundo da lista de Leiria, logo atrás de Teresa Morais (que já anunciou o "adeus" ao hemiciclo).

Refira-se ainda que o episódio em torno do currículo do social-democrata está a ser investigado pelo Ministério Público e que Barreiras Duarte está igualmente na mira da justiça no processo relativo às moradas indicadas pelos deputados aos serviços do Parlamento.

CONHEÇA A NOVA EDIÇÃO DIGITAL DA VISÃO. LEIA GRÁTIS E TENHA ACESSO A JORNALISMO INDEPENDENTE E DE QUALIDADE AQUI