Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Proteção Civil alerta para risco de cheias e quedas de árvores devido à chuva, neve e vento

Portugal

Luc­íia Monteiro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou hoje para a possibilidade de cheias, queda de árvores e formação de lençóis de água e gelo devido às previsões de chuva, queda de neve, vento e agitação marítima.

Num aviso à população, após contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Proteção Civil dá conta, para os próximos dias, de "um quadro meteorológico persistente marcado por forte instabilidade atmosférica", que vai afetar Portugal Continental.

Segundo a ANPC, que cita as previsões do IPMA, a chuva vai ser pontualmente forte e localizada, persistente ao longo dos próximos dias, intensificando-se a partir do final do dia de hoje, embora de forma mais expressiva nas regiões do litoral Norte e Centro, podendo ocorrer associada a trovoada e queda de granizo.

A neve vai cair acima dos 400/600 metros, sendo mais significativa durante a próxima madrugada nas regiões do interior Norte e Centro, com a cota a subir gradualmente na quinta-feira para os 1000/1200 metros, estando também prevista agitação marítima com forte rebentação na costa a partir de quarta-feira.

A ANPC adianta que o vento vai ser mais intenso a partir da tarde de hoje, prevendo-se um agravamento, com rajadas a poderem atingir os 100 quilómetros por hora nas terras altas, entre quarta-feira e sexta-feira, além das previsões não excluírem a possibilidade de ocorrerem fenómenos localizados extremos.

Face às previsões meteorológicas, a Proteção Civil alerta para piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo, possibilidade de cheias rápidas em meio urbano e inundação por transbordo de linhas de água nas zonas mais vulneráveis, bem como inundações de estruturas urbanas subterrâneas devido a condições de drenagem deficientes, danos em estruturas montadas ou suspensas e queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte.

A ANPC aponta igualmente para dificuldades de drenagem em sistema urbanos, nomeadamente durante períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais mais vulneráveis, acidentes na orla costeira e fenómenos geomorfológicos de instabilidade de vertentes devido à saturação dos solos e perda de consistência dos terrenos.

A ANPC recomenda à população que adote uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias, evitar atravessar zonas inundadas, colocação de correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve e ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas mais vulneráveis.

Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente andaimes, placards e outras estruturas suspensas, especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas e evitar praticar atividades relacionadas com o mar são outras das recomendações da ANPC.