Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

“O homem que traz o dinheiro está a chegar.” Esta e outras escutas que comprometem Rui Rangel

Portugal

O juiz-desembargador que está no centro da Operação Lex esteve sob escuta durante quase um ano. Nesses meses, a investigação detetou sucessivos pedidos de dinheiro feitos pelo juiz desembargador, que estaria então desesperado para pagar as contas. Essas conversas são agora reveladas em exclusivo pela VISÃO

Confrontado com mais um pedido de dinheiro feito pelo juiz Rui Rangel, o seu amigo e advogado Santos Martins acalmou-o assim, a 25 de outubro de 2017: "O homem que traz o dinheiro está a chegar." Não foi a única vez. Durante meses, os inspectores da Polícia Judiciária que iam ouvindo as conversas do juiz desembargador iam-se deparando com sucessivos pedidos desesperados. Santos Martins, constituído arguido por suspeitas de ser o testa-de-ferro do juiz, ia então dando nota do dinheiro que ia conseguindo recolher. O Ministério Público diz que o advogado o fazia junto de clientes de Rui Rangel que ainda tinham dívidas a saldar por alegados serviços do juiz. Rangel não deixava de pressionar, às vezes mais do que uma vez por dia.

Em determinadas alturas, acredita o Ministério Público, Santos Martins terá mesmo indicado a referência multibanco a alegados clientes para que pagassem directamente contas de casa e outras despesas correntes do juiz.

Rangel foi apanhado em várias escutas que reforçam a tese do Ministério Público de que vendia decisões judiciais favoráveis - em processos seus ou de outros juízes - e tinha atividades paralelas à atividade de juiz que eram remuneradas, violando as regras impostas pelo Estatuto dos Juízes. Algumas destas conversas telefónicas terão permitido até conhecer a identidade de alguns destes clientes.

Também o advogado com escritório na Avenida de Berna foi apanhado a conversar sobre o tipo de relação que mantinha com o juiz. Outras escutas comprometedoras envolvem Rita Figueira, também constituída arguida na Operação Lex. A ex-companheira do juiz é apanhada a falar com o pai sobre os destinos que Rangel daria ao dinheiro e sobre as suas actividades ilícitas.

A VISÃO revela todas as escutas do processo na edição que está nas bancas. Revela ainda toda a teia de influência e favores do juiz do Tribunal da Relação de Lisboa, quem são os 16 clientes já identificados pela investigação e por que razões Rui Rangel receberia dinheiro destas pessoas e entidades.

  • Rui Rangel recebeu 270 depósitos em notas

    Portugal

    Só Santos Martins, alegado testa-de-ferro de Rui Rangel, depositou 394 mil euros em dinheiro vivo nas contas conjuntas do desembargador e da juíza Fátima Galante. Há dias em que foram feitas operações em três agências bancárias distintas.