Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Está um frio de rachar? Normal: é inverno

Portugal

Portugal está sob aviso amarelo, de norte a sul, mas esta vaga de frio não foge aos padrões para esta época do ano, esclarece o Instituto de Metereologia

Rui Antunes

Rui Antunes

Jornalista

Portugal acordou hoje sob aviso amarelo, de norte a sul, por causa da vaga de frio que se vai manter até à madrugada de quinta para sexta-feira. Para ajudar os sem-abrigo, há estações de metro abertas durante a noite, em Lisboa e no Porto; a Proteção Civil deixou alertas para se evitar períodos prolongados de exposição às baixas temperaturas; e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) coloriu todo o território continental de amarelo. Nada a que o País não esteja habituado nesta época do ano.

“É uma situação semelhante a outras que já ocorreram nos meses de inverno, e com alguma frequência”, esclarece Vanda Pires, da divisão de clima do IPMA. “Como vamos ter algum vento, o desconforto fisiológico poderá ser maior, mas não é nada que também não tenha ocorrido”.

Desta vez, o frio vem para ficar durante três dias, o que não é sequer um período anormalmente prolongado. “Entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015, por exemplo, tivemos uma persistência bem maior de baixas temperaturas”, nota Vanda Pires.

Por estes dias, Portalegre, Coimbra, Guarda, Bragança e Braga vão estar algumas horas sob temperaturas abaixo de zero; Porto, Castelo Branco, Évora e Beja vão descer aos zero graus. A máxima será de 14 graus, em Faro, com Guarda a não passar dos 3º e Bragança dos 6º. Mas nenhuma capital de distrito se vai aproximar dos seus registos mais negativos.

Ao descer aos 3º, na temperatura mínima, Lisboa será das que vai ficar mais perto e, mesmo assim, com mais de quatro graus de diferença para os 1,2º abaixo de zero verificados em 1956, o inverno mais frio em Portugal (e na Europa) dos últimos 90 anos (ou seja, desde que existem dados).

Em Bragança, a temperatura mínima tocou hoje nos 7,7º abaixo de zero, longe dos -12º em janeiro de 1945 ou dos -11,6º em fevereiro de 1983. Há três anos, Mirandela, outra cidade de Trás-os-Montes, havia chegado aos -7,4º.

Já nas Penhas Douradas, em plena Serra da Estrela, registaram-se -5,8º nesta madrugada, a quinta consecutiva abaixo de zero, mas nada de admirar para um inverno em Portugal. “Estamos dentro dos padrões de temperatura para esta época do ano”, remata Vanda Pires.

  • O que não deve fazer em dias tão frios como estes

    Sociedade

    As temperaturas baixas associadas a vento forte são a razão porque sentimos maior desconforto térmico. Mas ainda não se pode falar em onda de frio. Com o País em alerta amarelo, a Direção-Geral da Saúde recomenda o que não deve fazer nestes dias tiritantes