Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Siga o rasto aos donativos para reconstruir Pedrógão

Portugal

Lucília Monteiro

A maior parte dos donativos ainda não chegou às populações afetadas pelo incêndio. Algumas instituições já entregaram o dinheiro a fundos solidários criados por outras (como a CGD à Gulbenkian ou a RTP à Santa Casa de Pedrógão). A VISÃO seguiu o rasto do dinheiro e apresenta os resultados caso a caso.

Depois das denúncias dos autarcas, que dizem não saber onde param os donativos para as vítimas da tragédia de Pedrógão Grande, Marcelo Rebelo de Sousa diz que é preciso explicar aos portugueses como é que esse dinheiro está a ser gerido. Perante a polémica, o Presidente da República pede também para que não haja aproveitamento político dos incêndios, pelo menos até às eleições autárquicas.

Sobre esta matéria, o primeiro-ministro António Costa foi claro: "Depois do extraordinário movimento da sociedade civil, é essencial que os portugueses tenham toda a informação sobre o destino das verbas que doaram generosamente".

"As pessoas deram o dinheiro às entidades que entenderam. O Estado organizou um fundo, o Revita, que até ao momento só recebeu donativos no montante total de 1,961 milhões de euros. Relativamente às verbas do fundo Revita, as intenções de doação chegam até 4,9 milhões de euros, apesar de, efetivamente, só termos recebido até agora, 1,9 milhões. Sendo um fundo público, é gerido em conjunto com as autarquias e com a sociedade civil", disse.

A VISÃO seguiu o rasto do dinheiro apresenta os resultados caso a caso, discriminando os fundos recolhidos por cada entidade

TOTAL ANGARIADO - 13,6 milhões de euros

Governo - €1 milhão no fundo REVITA.
Verba pode ultrapassar os 4 milhões de euros
Origem: Doações de particulares e do Millennium (€423 mil)
Destino: Há 72 intervenções de requalificação simples em processo de entrega em obra

Cáritas Portuguesa - €1,26 milhões
Origem: Diversas doações, incluindo a do Novo Banco (€191 568)
Destino: Cáritas de Coimbra está no terreno a identificar necessidades

União das Misericórdias Portuguesas (UMP) - €1,84 milhões
Origem: 1,342 milhões de euros do concerto solidário Juntos por todos, 467 mil euros da conta solidária aberta no Montepio e 36 470 euros do Santander
Destino: A UMP está a fazer o levantamento das necessidades

Associação Portuguesa de Seguradores - €2,5 milhões
Origem: Doações das seguradoras
Destino: Primeiros pagamentos a familiares das vítimas já começaram a ser feitos

Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande - €150mil
Origem: Doações de particulares e donativo da RTP (€134 mil) Destino: Reabilitação de duas casas de habitação. Ainda decorre o processo 
de identificação

Fundação Aga Khan - €500 mil
Origem: Doação do príncipe Aga Khan
Destino: Verba entregue ao Governo. Não integra o fundo REVITA porque vai ser aplicada na área da educação. Está a ser feito o levantamento das necessidades

Fundação Calouste Gulbenkian - €3,65 milhões
Origem: Doação da própria fundação (500 mil euros); doações da Altri e da Navigator (500 mil euros); e donativo da CGD 
(2,65 milhões de euros)
DESTINO: Fundação ainda no terreno a identificar necessidades

Novo Banco - €191 568
Origem: Doações de particulares para conta solidária
Destino: Verba já foi entregue à Cáritas de Coimbra

Millennium BCP - €423 mil
Origem: Doações de particulares para conta solidária
Destino: Valor faz parte do fundo REVITA, criado pelo Governo

BPI - €1,14 milhões
Origem: 1 milhão de euros doado pelo BPI e pela Fundação La Caixa; os restantes 144 mil euros provêm de donativos particulares
Destino: Banco está a colaborar diretamente com a Câmara Municipal de Pedrógão Grande e com as autoridades competentes no levantamento das necessidades

CGD - €2,65 milhões
Origem: Doação de 
50 mil euros do próprio banco e donativos 
de particulares
Destino: Valor integra o fundo da Fundação Calouste Gulbenkian

Caixa Crédito Agrícola - €218 mil
Origem: Doações de particulares para conta solidária do banco
Destino: Banco disse à VISÃO que “decidiu atribuir os donativos angariados (...) à União das Misericórdias Portuguesas”. A UMP admite que houve contactos mas não confirma que a verba tenha sido entregue

Santander - €573 mil
Origem: Banco doou 500 mil euros. Os restantes 73 mil euros foram angariados através de doações particulares
Destino: Os 500 mil euros vão integrar o fundo REVITA*. Os 73 mil euros de doações vão ser divididos em partes iguais e entregues à Cruz Vermelha Portuguesa e à UMP.

*O banco garantiu à VISÃO que os 500 mil euros que pretende entregar ao Governo já foram transferidos. O Executivo confirma apenas que o “Santander mostrou intenção de aderir ao REVITA”, sem se pronunciar sobre se o montante já foi recebido

Montepio - €617 mil
Origem: Doações de particulares (€467 mil) destinadas à UMP; €150 mil doados pela Associação Mutualista Montepio; e €100 mil doados pela Caixa Económica Montepio
Destino: €467 mil pertencentes à UMP; restantes €250 mil vão integrar o fundo REVITA

RTP - €134 mil
Origem: Doações através de chamadas telefónicas para a linha solidária da RTP
Destino: Montante já foi entregue à Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande, como confirmou à VISÃO o provedor João Manuel Gomes Marques

SIC - €854 864,79
Origem: Chamadas telefónicas
(€800 299,12); transferências 
(€11 926,67);
e doações públicas (€42 598)
Destino: A SIC, através da SIC Esperança, está a trabalhar no terreno em colaboração com várias instituições para fazer o levantamento das necessidades

(Dados recolhidos até dia 10 de agosto de 2017)