Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

30 mil já utilizaram o plano de saúde da Sonae

Portugal

Luís Barra

Há cinco meses o plano da Sonae arrancou com muitas dúvidas sobre se seria publicidade enganosa ou concorrência desleal. Sem franquia ou mensalidade, este produto já foi entretanto usado 30 mil vezes.

O Plano de Saúde que a Sonae lançou em novembro, em parceria com a Advancecare, já teve 30 mil utilizações em cinco meses e permitiu uma poupança de meio milhão de euros aos bolsos dos utilizadores. Cinco meses depois de ser lançado, responsáveis afastam dúvidas de concorrência desleal ou publicidade enganosa.

O balanço é feito à VISÃO por Pedro Meda, responsável pela área de serviços de saúde da Sonae, que explica que, neste momento, além dos 2,1 milhões de titulares do cartão continente que têm acesso ao plano de forma automática, já chegaram mais 60 mil pedidos de familiares que se quiseram associar. Sem necessidade de adesão, mensalidade ou franquia, os 30 mil que utilizaram o cartão para ter descontos em consultas nos privados e devolução nesse cartão de 15% do valor pago conseguiram poupar cerca de meio milhão de euros.

Pedro Meda aproveita o balanço para afastar também as dúvidas sobre concorrência desleal e publicidade enganosa. Garante que não têm chegado à Sonae queixas sobre o produto, mas sim uma grande “solicitação para entender como funciona”. O site já teve meio milhão de visitas para consultar as condições e a rede.

Há umas semanas, a VISÃO deu nota das desconfianças do PCP, que enviou questões ao Governo, Autoridade da Concorrência, Autoridade de Segurança Alimentar e Comissão Nacional de Proteção de Dados. Mas também de uma queixa que chegou à Direcção-Geral do Consumidor por parte de um cidadão que considerava que a mensagem era enganosa. À VISÃO, a DGC acabou por confirmar que “não se verificavam os requisitos de infração ao regime jurídico da publicidade”.

Pedro Meda garante que essas queixas não têm chegado à Sonae. “O feedback dos clientes e dos parceiros é positivo” e lembra que o plano tem como objetivo dar uma solução de acesso à saúde privada aos “cinco milhões de portugueses que hoje não a têm”.

Quanto à concorrência com os seguros privados de saúde, Pedro Meda explica que são produtos distintos. Sem franquias, nem período de carência, o plano da Sonae funciona, no fundo, como desconto em consultas e cirurgias em ambulatório, além de um cashback de 15% no cartão. Ao contrário de um seguro “que assume os riscos de um internamento hospitalar”, este plano concorre a esse nível.