Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sócrates "espantadíssimo": MP "não foi capaz de apresentar nada"

Portugal

Nada mais do que "uma escutazinha aqui e outra ali". À saída do interrogatório no âmbito da "Operação Marquês", o antigo primeiro-ministro José Sócrate comentou que Ministério Público tinha a última oportunidade para o confrontar com factos novos, mas que não conseguiu apresentar nenhuma prova

"Eu julguei que esta era a última oportunidade para o Ministério Público, finalmente, apresentar elementos de prova, elementos de facto, que pudessem sustentar as suas alegações", disse José Sócrates, ao fim de mais de seis horas de interrogatório no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

"Fiquei espantadíssimo porque o Ministério Público não foi capaz de apresentar nada, a não ser uma escutazinha aqui e outra ali", acrescentou.

À entrada para o DCIAP o ex-primeiro-ministro, que foi interrogado pela terceira vez pelos procuradores da 'Operação Marquês', disse que ia responder a todas as questões colocadas pelo Ministério Público, reafirmando que está a ser alvo de uma campanha maldosa e difamatória, com notícias colocadas nos jornais sem apresentar factos.

Sócrates está indiciado por corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, num processo que investiga crimes económico-financeiros e cujo prazo para o MP arquivar ou deduzir acusação termina sexta-feira.

com Lusa