Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tio do líder da Coreia do Norte foi comido vivo por 120 cães

Mundo

Getty Images

A execução durou cerca de uma hora e foi supervisionada pelo próprio Kim Jong-un e pelo seu irmão. Os cães estiveram cinco dias sem comer antes do ataque a Chang Song-thaek

A informação está a ser avançada pelo canal de televisão norte-americano NBC News. Chang Song-thaek foi executado, acusado de traição ao país.  

O tio do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, foi comido vivo por uma matilha de 120 cães esfomeados. As primeiras informações divulgadas acerca da forma violenta como Chang Song-thaek foi executado surgiram através do jornal de Hong Kong Wen Wei Po, ligado ao Partido Comunista Chinês. 

Chang foi executado no passado dia 12 dezembro de 2012, em circunstâncias não divulgadas oficialmente, após um rápido processo de demissão e julgamento por parte de um tribunal militar da Coreia do Norte.

De acordo com a publicação chinesa, Chang e cinco assessores foram despidos e presos no interior de uma jaula. A notícia dá conta que os 120 cães não comeram durante cinco dias, depois, esfomeados, foram libertados no interior da jaula de Chang Song-thaek.

O jornal chinês refere que a execução durou cerca de uma hora e foi supervisionada pelo próprio Kim e o seu irmão, Kim Jong-chol. O jornal Wen Wei Po acrescentou que estiveram presentes cerca de 300 funcionários e que Chang e os assessores foram "completamente devorados".

Segundo a NBC News, a publicação de Hong Kong, que denunciou a execução, tem atuado como porta-voz do Partido Comunista da China. A divulgação desta notícia pode ser um sinal para desmotivar os opositores do atual regime da Coreia do Norte.

O tribunal norte-coreano publicou uma nota oficial após o julgamento onde referia que Chang era "pior do que um cão e que estava a planear derrubar o atual governo".