Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Testes confirmam uso de gás sarin na Síria

Mundo

  • 333

O Reino Unido informou esta quarta-feira que os testes às amostras fisiológicas da Síria deram positivo a gás sarin e que existe cada vez mais informação relativa ao uso de armas químicas pelo regime sírio

"O material da Síria deu resultado positivo a sarin", disse um porta-voz do Governo britânico, salientando que existe "cada vez mais informação sobre a utilização pelo regime de armas químicas, incluindo sarin".

A presidência norte-americana tinha já exigido ontem a confirmação do uso de armas químicas pelo regime sírio na guerra civil em curso naquele país, depois de a França ter afirmado possuir provas nesse sentido. A administração do Presidente Barack Obama está de novo pressionada para agir, depois de informação divulgada e segundo a qual as forças leais ao regime de Bashar al-Assad teriam ultrapassado o limite estabelecido por Washington, ou seja, teriam usado armas químicas contra os rebeldes que querem derrubar o regime.

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, afirmou que foi usado gás sarin "várias vezes de forma localizada" pelos militares sírios, mas não avançou mais pormenores. O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, não deu uma resposta definitiva ao chefe da diplomacia francesa, mas afirmou que Washington está a trabalhar com a França, o Reino Unido e a oposição síria para investigar as acusações.

Em declarações à imprensa, Carney apontou que no relatório citado por Fabius se afirma que "é preciso mais trabalho para determinar quem é responsável pelo uso [de armas químicas], a quantidade utilizada e mais pormenores sobre as circunstâncias em que aconteceu".

"Como o Presidente [Obama] deixou claro, precisamos de mais provas, precisamos de as rever e precisamos de corroboração antes de tomar quaisquer decisões baseadas na clara violação que constituiria o uso de armas químicas pelo regime sírio", indicou.

Apesar de pressão política crescente para uma eventual intervenção na Síria, Obama tem resistido a envolver-se diretamente no conflito. O regime e as forças rebeldes têm trocado acusações sobre o uso de armas químicas. Uma comissão independente, patrocinada pela ONU para investigar o conflito na Síria, confirmou hoje o uso de armas químicas no conflito e, sem comprovar que lado as utilizou, afirmou duvidar que estejam nas mãos dos rebeldes.