Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tensão crescente entre Israel e a Palestina

Mundo

  • 333

Israel lançou mais de 800 raides aéreos contra a Faixa de Gaza desde o início da operação "Pilar de Defesa" na quarta-feira

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se
1 / 12

MÁSCARA, CAOS E SILÊNCIO - É a primeira sensação e uma espécie de passaporte para uma nova realidade: o momento em que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se confunde com a esperança que nos colocam a máscara de oxigénioe, na maca, entramos num mundo de caos e de silêncios, onde o medo se

moonspell
2 / 12

moonspell

moonspell
3 / 12

moonspell

moonspell
4 / 12

moonspell

moonspell
5 / 12

moonspell

moonspell
6 / 12

moonspell

moonspell
7 / 12

moonspell

moonspell
8 / 12

moonspell

moonspell
9 / 12

moonspell

moonspell
10 / 12

moonspell

moonspell
11 / 12

moonspell

moonspell
12 / 12

moonspell

Israel lançou mais de 800 raides aéreos contra a Faixa de Gaza desde o início da operação "Pilar de Defesa" na quarta-feira, indicou hoje um porta-voz do exército israelita.

"As nossas forças aéreas levaram a cabo 830 ataques contra Gaza desde o início da operação "Pilar de Defesa" contra os grupos armados palestinianos desde a tarde de quarta-feira, declarou o porta-voz à AFP: O mesmo responsável indicou que "mais de 350 'rockets' foram lançados a partir da Faixa de Gaza contra Israel, dos quais 200 foram intercetados" pelo sistema antimísseis 'Iron Dome'.

O primeiro ministro judaico, Benjamin Netanyahu, ordenou a mobilização de 70 mil reservistas, para além dos 30.000 que já tinham sido convocados, num sinal de que pode estar iminente uma ofensiva a Gaza por via terrestre.

Em Gaza, as brigadas Azzedin al Kasam , o braço armado do Hamas revindicaram o ataque e afirmaram ter atingido Jerusalém com misseis que se encontra a 65 quilómetros de distancia do território.

O governo de Jerusalém estima que os militantes palestinianos disponham de cerca de 12.000 rockets e mísseis, incluindo armas mais sofisticadas fornecidas pelo Irão.