Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Snowden aceitou emprego para obter provas sobre programas de vigilância dos EUA

Mundo

  • 333

Associated Press

Edward Snowden revelou ter aceitado trabalho na Booz Allen Hamilton com o "objetivo único" de recolher provas sobre os programas de vigilância da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, noticia esta terça-feira o South China Morning Post

"O meu posto na Booz Allen Hamilton garantia-me o acesso às listas dos computadores que a Agência de Segurança Nacional (NSA) espiava em todo o mundo", afirmou o informático norte-americano numa entrevista concedida, a 12 de junho, ao diário em língua inglesa, que publica essas declarações na sua edição de hoje.

"Essa é a razão pela qual aceitei o cargo [na Booz] há três meses", afirmou, citado pelo South China Morning Post, que não explica por que motivo adiou a publicação dessa informação até agora, dois dias depois de Snowden ter abandonado a antiga colónia britânica rumo a Moscovo.

O paradeiro de Snowden, acusado de espionagem pelos Estados Unidos por ter revelado programas de vigilância em massa de comunicações, permanece uma incógnita, já que o voo para Havana em que se esperava que embarcasse, procedente da Rússia, aterrou na capital cubana sem o ex-colaborador da CIA.

Snowden, 30 anos, afirmou ainda pretender divulgar mais documentos no futuro: "Se tiver tempo para analisar esta informação, gostaria de a tornar disponível para os jornalistas de cada país, para que avaliem, independentemente do meu critério, se as informações sobre as operações dos Estados Unidos contra a sua população devem ou não ser publicadas".

Snowden, funcionário de uma empresa privada subcontratada pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos, revelou, a 09 de junho, aos jornais britânico The Guardian e norte-americano The Washington Post a existência de dois programas de "vigilância em massa" de comunicações telefónicas nos Estados Unidos e de comunicações via internet no estrangeiro.

Depois de deixar o Havai, o norte-americano refugiou-se em Hong Kong e, no domingo, dias depois de ter sido formalmente acusado pelos Estados Unidos de espionagem, viajou para Moscovo.

A Rússia mantém o silêncio em relação ao paradeiro de Edward Snowden, sendo que Washington está convencido de que o antigo consultor ainda se encontra em solo russo.