Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Relatório demolidor pode ser a causa do afastamento do Papa

Mundo

  • 333

A resignação poderá ter estado relacionada com um relatório de 300 páginas recebido pelo Papa Bento XVI e que refere lutas de poder e a existência de um poderoso "lobby gay"

O relatório recebido pelo Papa Bento XVI contém nas suas 300 páginas assuntos demolidores para a Igreja Católica, segundo o jornal italiano La Repubblica. Demolidor a ponto de o próprio chefe da igreja preferir afastar-se do cargo.

O documento foi elaborado por três dos mais experientes cardiais do Vaticano, na sequência do caso dos documentos roubados pelo mordomo Paolo Gabriele da residência de Bento XVI que foram posteriormente entregues a um jornalista.

O texto refere lutas de poder, desvio de fundos e relações homossexuais. Segundo o La Repubblica, citando a investigação, os encontros teriam lugar numa vila fora de Roma, numa sauna, num centro estético, no próprio Vaticano e numa residência universitária. O jornal refere a possibilidade de existir um poderoso "lobby gay" no Vaticano.

A mesma fonte recorda o escândalo em 2010, onde houve evidências de seminaristas que se prostituíam e de um membro de um coro do Vaticano, Chinedu Eheim, que atuava como proxeneta, oferecendo serviços sexuais com menores. Estes aconteciam tanto em Roma como dentro do próprio Vaticano. Eheim falava com frequência com Angelo Balducci, então presidente do Conselho Nacional de Obras Públicas, investigado por corrupção e escutas telefónicas.

"Só te digo que tem 2 metros, pesa 97 quilos, tem 33 anos e é completamente 'ativo'", ouviu-se numa gravação tornada pública, na altura, numa conversa entre o também cavaleiro de Sua Santidade, Angelo Balducci, e um membro do coro do Vaticano.

O La Repubblica refere que Bento XVI avançou para a resignação devido aos escândalos e afirmou que "este relatório deve ser entregue ao próximo Papa, que deverá ser bastante forte, jovem e santo para enfrentar o trabalho que o espera". Refere ainda a necessidade de uma "limpeza profunda" no Vaticano.