Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Primeiro-ministro da Síria desertou de "regime de assassinios e terror"

Mundo

  • 333

O ministro da Informação sírio, Omrane al-Zohbi, afirmou hoje que as deserções não têm impacto na política do regime, confirmando implicitamente a do primeiro-ministro, Riad Hijab

O primeiro-ministro sírio, Riad Hijab, desertou e juntou-se à oposição em protesto contra o "genocídio" que Bashar al-Assad está a cometer na Síria, segundo o seu porta-voz à Al-Jazeera. 

Hijab tomou a decisão de desertar devido aos "crimes de guerra e de genocídio" na Síria, afirmou o porta-voz Mohamed Otri, que intervinha em direto em Amã.

"Anuncio a minha deserção hoje do regime de assassínios e terror e junto-me aos apoiantes da revolta", afirmou Hijab, num texto lido pelo porta-voz na Al-Jazeera.

A deserção foi implicitamente confirmada pelo ministro da Informação: "A Síria é um Estado de instituições e as deserções de personalidades, qualquer que seja o seu estatuto, não modificam em nada a política do Estado", disse Zohbi, citado pela agência oficial Sana.

O ministro falava após "uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros na presença de todos os seus membros", sob a presidência de Omar Ghalawanji, vice-primeiro-ministro designado para gerir os assuntos correntes após a saída de Hijab, precisou a agência.