Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Paris vai retirar todos os cadeados do amor

Mundo

Reuters

Capital francesa vai remover os cadeados colocados na Ponte das Artes. Município quer que os casais passem a tirar selfies

A Câmara Municipal de Paris ordenou a remoção definitiva de todos os "cadeados do amor" que se encontram na Ponte das Artes. A quantidade de cadeados que foram colocados por casais equivale a várias toneladas, constituindo uma ameaça à segurança. Anne Hidalgo, presidente da câmara municipal de Paris, considera que a tradição provoca "uma deterioração duradoura do património e um risco para a segurança dos visitantes, dos parisienses e dos turistas."

O processo de remoção dos cadeados começa na próxima segunda-feira e estima-se que deve terminar no prazo de uma semana. Quando todos os cadeados forem removidos, o amor dará lugar à arte: a estrutura será alvo de "uma intervenção artística temporal inédita, realizada por artistas internacionais." Pelo outono, as intervenções artísticas serão substituídas por painéis transparentes.

O alerta para o perigo desta tradição surgiu em junho do ano passado, quando duas das barreiras laterais não aguentaram o peso de milhares de cadeados e caíram sobre o tabuleiro da ponte. O acidente não causou vítimas, mas levou a que o município desenvolvesse uma campanha de sensibilização. A iniciativa incentivou os turistas a tirarem uma selfie e a enviarem-na para um site específico, em vez do ato que se popularizou desde 2008.

A tradição dos cadeados, cuja origem se desconhece, leva casais provenientes dos vários pontos do mundo a dirigirem-se à ponte e a colocarem um cadeado num dos seus painéis, atirando a chave ao Rio Sena. No ano passado, estimava-se que a Ponte das Artes tivesse cerca de 700 mil cadeados, o que corresponde a um peso de cerca de 93 toneladas.