Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Milhares de espanhóis sairam à rua para exigir a implementação da República

Mundo

  • 333

Reuters

Mais de oito mil manifestantes desfilaram este domingo no centro de Madrid para comemorar os 82 anos da II República e para exigir o advento da terceira, num país em crise com um regime monárquico manchado por vários escândalos recentes

O desfile foi convocado pela Junta Estatal Republicana, que aglomera cerca de 50 partidos e instituições da sociedade civil.

Agitando milhares de bandeiras republicanas, os manifestantes, maioritariamente republicanos de longa data, gritavam que "amanhã, a Espanha será republicana" e "Bourbon, ao trabalho", dirigindo-se ao monarca espanhol, Juan Carlos, refere a agência AFP.

A Izquierda Unida (Esquerda Unida), uma das muitas formações políticas que estava representada no protesto, afirmou à agência espanhola EFE, pela voz do seu coordenador Cayo Lara, que "a monarquia tem feito muito pelo advento da República".

Também do Izquierda Unida, Veronica Ruiz sublinhou que "ninguém elegeu o rei" e pediu um referendo, "a maneira justa e democrática de saber o que as pessoas querem".

Atingido por sucessivos problemas de saúde, o rei Juan Carlos viu a sua popularidade cair nos últimos meses, à medida que se iam conhecendo pormenores do processo judicial que envolve o seu genro, Iñaki Urdangarin, e mais recentemente, também a sua filha mais velha, a infanta Cristina.

Há um ano atrás, a 14 de abril de 2012, quando Espanha estava já mergulhada numa crise económica de enorme dimensão, atingida por uma taxa de desemprego de 26%, o país soube que o rei tinha viajado para o Botsuana, para participar numa dispendiosa caçada a elefantes, durante a qual partiu uma anca, e pela qual teve mais tarde que se desculpar perante os espanhóis.

De acordo com uma sondagem publicada pelo jornal El País a 07 de abril, citada pela AFP, 53% dos inquiridos desaprovam a forma como o soberano exerce as suas funções.

"Dada a situação atual de Espanha, o que precisamos é de uma república que ponha fim à pilhagem levada a cabo pelos Bourbon", disse uma estudante de 20 anos à AFP, que hoje se manifestou em Madrid.

Manifestantes que todos os anos se juntam a este desfile, ouvidos pela EFE, garantem que este ano os espanhóis participaram em maior número no desfile, durante o qual também se ouviram muitas críticas à política do Governo de Rajoy, aos cortes e às privatizações.