Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mais uma criança infetada por parasita raro que ataca o cérebro

Mundo

  • 333

Reprodução DCD

O norte-americano Zachary Reyna, de 12 anos, contraiu uma infeção rara causada por uma ameba que destrói o tecido cerebral e vive em águas contaminadas

Segundo a CNN, Zachary Reyna foi infectado por uma ameba rara - que destrói o tecido cerebral - depois de, no dia 3 de Agosto, ter estado a brincar com os amigos numa vala cheia de água perto de casa, na Florida. Quando passou o dia seguinte quase todo a dormir, a família estranhou e levou-o ao hospital, onde foi operado e diagnosticado com meningoencefalite amebiana primária, causada pela ameba "Naegleria Fowleri" - encontrada em água doce e quente.

Actualmente o menino está nos cuidados intensivos, mas o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano (CDC na sigla americana) explicou que têm mantido contacto com os médicos e decidiram medicá-lo com o mesmo fármaco experimental que forneceram para o tratamento de Kali Harding, do Arkansas. A menina, também de 12 anos, contraiu a mesma infecção rara há menos de um mês.

De acordo com Tom Bonner, porta-voz do Hospital de Crianças do Arkansas - onde a menina foi internada - Kali Harding foi medicada com um antifúngico, antibióticos e uma nova droga antiameba experimental. Actualmente a criança está em reabilitação, "o que é realmente um bom sinal para ela" e tem mostrado algumas melhoras.

No entanto, segundo o CDC, dos 128 casos de infecção rara causada por este tipo de ameba no último meio século, apenas dois pacientes sobreviveram.

Dirk Haselow, do Departamento de Saúde do Arkansas, afirma: "Esta infecção é uma das mais graves que conhecemos. 99% das pessoas que contraem a doença morrem".

Os sintomas iniciais desta rara infecção aparecem ao longo dos primeiros sete dias depois de a doença ter sido contraída e progridem rapidamente. Geralmente provoca a morte dentro de um a 12 dias.