Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Jornalista que noticiou morte de Nisman fugiu da Argentina

Mundo

o procurador Alberto Nisman foi encontrado morto, sob circunstâncias misteriosas, depois de acusar a Presidente argentina de ter negociado o encobrimento do envolvimento do Irão nos atentados de 1994 em Buenos Aires

Foto: Reuters

Damian Pachter, primeiro jornalista que noticiou a morte do procurador Alberto Nisman, fugiu para Israel por sentir a sua segurança ameaçada.

O jornalista, com dupla nacionalidade argentina e israelita, que trabalhava para o "FOPEA" (Fórum Jornalístico Argentino), foi a primeira pessoa a noticiar a morte de Nisman, através da rede social Twitter. No passado sábado, terá sido obrigado a fugir para Israel depois de ter recebido ameaças e de ter sido seguido por pessoas desconhecidas, de acordo com o mesmo órgão de comunicação.

"Eu regressarei quando as minhas fontes me garantirem que as condições se alteraram", afirma o jornalista a uma publicação argentina e citado pela Agência de Notícias Judaica (JTA). "Não penso voltar para a Argentina durante este Governo," acrescentou Pachter na mesma declaração.

Através de um comunicado, o fórum que emprega Damian Pachter revelou ter notificado as "autoridades competentes" e apelou ao público para "prestar atenção aos jornalistas do nosso país (Argentina) nesta altura."

Recorde-se que o procurador Alberto Nisman foi encontrado morto, sob circunstâncias misteriosas, depois de acusar a Presidente argentina de ter negociado o encobrimento do envolvimento do Irão nos atentados de 1994 em Buenos Aires.