Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Hoje é mais provável sobreviver a um acidente de avião. Saiba porquê

Mundo

  • 333

Reuters

Nunca foi tão provável sobreviver a um desastre de avião como agora. O acidente de sábado, em que apenas duas das 307 pessoas a bordo morreram é um exemplo

Alguns avanços significativos na tecnologia da aviação estão por detrás das maiores possibilidades de sobreviver a um acidente aéreo. Hoje em dia, segundo uma análise da Associates Press a dados oficiais sobre desastres de avião, acontecem duas mortes em todo o mundo por cada 100 milhões de passageiros em voos comerciais. Há apenas uma década, a possibilidade de morrer ao viajar num aparelho norte-americano, por exemplo, era 10 vezes superior à atual. Quanto à comparação com os acidentes rodoviários, já se sabe: as 30 mil mortes anuais por acidentes nas estradas fazem a taxa de mortalidade rodoviária oito vezes superior à dos acidentes aéreos. 

Seguem-se alguns exemplos dos avanços introduzidos nos aviões:

Lugares mais fortes - hoje em dia, os assentos, bem como a sua fixação ao chão, são concebidos para aguentar forças até 16 vezes a da gravidade. Isto impede as filas de bancos de colidirem umas com as outras, esmagando os passageiros.

Retardantes de fogo - as alcafitas e os forros dos bancos são agora feitos de materiais que ardem mais devagar e não emitem gases perigosos.

Saídas melhoradas - As portas são agora muito mais fáceis de abrir, o que permite aos passageiros evacuarem mais depressa em caso de acidente. As saídas também estão sempre perfeitamente sinalizadas.

Melhor treino - Os tripulantes de várias companhias áreas recebem atualmente treino em modelos de tamanho real que até se enchem de fumo durante as simulações.

Aviões mais fortes - Os engenheiros têm corrigido os pontos estruturalmente mais frágeis 

Tecnologia - Os novos equipamentos ajudam os pilotos a evitar os tipos normalmente mais fatais de acidentes: colisões com montanhas ou outros aviões em pleno voo. O sistema de alerta de proximidade do solo é outro auxiliar precioso.

Melhores radares - A tecnologia também melhorou em terra firme, evitando que aviões aterrem na pista errada.