Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Encontrados 49 corpos mutilados perto da fronteira do México com os EUA

Mundo

  • 333

A guerra entre os dois cartéis de droga mais poderosos no México conheceu uma escalada de violência nos últimos meses e as autoridades descobriram, na madrugada de domingo, 49 corpos mutilados, espalhados numa auto-estrada. VEJA AS FOTOS

Maratona em Seuk, Coreia do Sul
1 / 8

Maratona em Seuk, Coreia do Sul

Desfile em Banguecoque, Tailândia
2 / 8

Desfile em Banguecoque, Tailândia

Cambodja em protesto por melhores salários
3 / 8

Cambodja em protesto por melhores salários

Milhares nas ruas em Kuala Lumpur, Malásia,
4 / 8

Milhares nas ruas em Kuala Lumpur, Malásia,

Dia de trabalho em Jammu, Índia
5 / 8

Dia de trabalho em Jammu, Índia

Taipei, Taiwan
6 / 8

Taipei, Taiwan

Jacarta, Indonésia
7 / 8

Jacarta, Indonésia

Amritsar, Índia
8 / 8

Amritsar, Índia

Os corpos de 43 homens e seis mulheres, sem cabeça, mãos e pés, foram encontrados à entrada da cidade de San Juan, numa auto-estrada junto à fronteira do México com os EUA. As autoridades fizeram a macabra descoberta na madrugada de domingo.

No arco de pedra que dá as boas-vindas aos visitantes de Reynosa, a inscrição: "100% Zeta", escrita a preto, numa referência aparente ao cartel Zeta.

Alguns dos corpos estavam dentro de sacos do lixo. A polícia acredita, pela forma como se encontravam caídos ao longo da auto-estrada, que terão sido largados a partir de um camião.

A falta das cabeças e membros deverá agora dificultar a tarefa da identificação dos cadáveres.

Ao longo dos últimos meses, a escalada de violência entre os cartéis Zeta e Sinaloa tem levado a "atos irracionais e desumanos de violência inadmissível", nas palavras das autoridades, que estão a oferecer recompensas no valor de 2 milhões dólares para quem fornecer informação que leve à detenção dos líderes.

Em menos de um mês, os corpos mutilados de 14 homens foram encontrados numa carrinha, além de outras 23 vítimas, decapitadas e algumas penduradas numa ponte. Na cidade de Guadalajara foram descobertos outros 18 cadáveres, sem membros.

Desde dezembro de 2006, já morreram no México mais de 47.500 pessoas.