Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Empresa de pulseiras "Power Balance" obrigada a pagar indemnização milionária

Mundo

Uma ação de um grupo de consumidores enganados fez com que a empresa Power Balance fosse condenada, podendo ter de pagar 42 milhões euros por publicidade enganosa

A empresa que comercializa em todo o mundo as pulseiras Power Balance, que prometiam equilibrar a energia do corpo, poderá mesmo vir a ter de declarar falência, segundo o site TMZ.

Depois de perder uma ação movida por um grupo de consumidores, a empresa poderá ter de pagar 42 milhões de euros aos clientes norte-americanos.

A Power Balance é feita de silicone e neopereno com um holograma e foi comercializada nos Estados Unidos por 30 doláres, o equivalente a 22 euros.

Na Austrália já se deu caso semelhante quando um órgão de controlo de produtos expôs as reclamações de clientes e a empresa teve de reembolsá-los. A empresa chegou mesmo a pedir desculpas pelo sucedido.

Perante as queixas surgidas nos Estados Unidos, os irmãos Josh e Troy Rodarmel, fundadores da Power Balance, já haviam admitido que não existiam provas científicas que confirmassem os "poderes" da pulseira. 

A popularidade das pulseiras levou atletas como Cristiano Ronaldo, Shaquille O'Neill e Kobe Bryant, da liga norte-americana de basquetebol, a utilizarem a Power Balance.

A marca foi fundada em 2007 e chegou a vender 3 milhões de unidades em todo o mundo.