Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Datas-chave para entender o que se passa no Egito

Mundo

  • 333

Alguns dos acontecimentos decisivos dos últimos dois anos

De 25 de janeiro a 11 de fevereiro, 2011 - Manifestações por todo o país contra o então presidente Hosni Mubarak. Os confrontos fazem centenas de mortos. 

11 de fevereiro de 2011 - Mubarak resigna e o poder passa para as mãos dos militares, que dissolvem o parlamento e suspendem a constituição

19 de março de 2011 - Os egípcios votam alterações à constituição

De 28 de novembro de 2011 a 15 de fevereiro de 2012 - Eleições legislativas que se estenderam por várias semanas

23 e 24 de maio de 2012 - Primeira volta das eleições presidenciais, com 13 candidatos na corrida. Mohamed Morsi e Ahmed Shafiq, o último primeiro-ministro de Mubarak, passam à segunda volta

14 de junho de 2012- O Tribunal Constitucional ordena a dissolução da câmara baixa do parlamento egípcio

16 e 17 de junho de 2012- Segunda volta das presidenciais. Morsi vence com 51,7% dos votos

30 de junho de 2012 - Morsi toma posse

12 de agosto de 2012 - Morsi ordena a reforma dos líderes militares do tempo de Mubarak

19 de novembro de 2012 -  Elementos dos partidos liberais e representantes religiosos abandonam o grupo de 100 pessoas com missão de redesenhar a constituição, acusando os islamistas de impôr a sua vontade

22 de novembro - Morsi decide, unilateralmente, auto-atribuir-se mais poderes, incluindo imunidade judicial para as suas decisões. Os tribunais ficam impedidos de dissolver a assembleia constituinte e a câmara alta do parlamento. Seguem-se dias de protestos

4 de dezembro - Mais de 100 mil manifestantes protestam, exigindo o cancelamento do referendo, marcado para dia 15, sobre a nova constituição

15 de dezembro - A constituição é aprovada com 63,8% dos votos, num referendo com abstenção muito elevada.

29 de dezembro - O Banco Central do Egito anuncia que as reservas estrangeiras cairam para "mínimos críticos" e tenta evitar a derrapagem do valor da libra egípcia.

25 de janeiro de 2013 - Centenas de milhares de pessoas marcam o segundo aniversário do início da revolução contra Mubarak com protestos, agora contra Morsi.

De fevereiro a março de 2013 - Protestos sobem de tom em várias cidades

7 de maio  de 2013 - Morsi remodela o seu gabinete

30 de junho de 2013 - Milhões de egípcios manifestam-se, exigindo a demissão de Morsi

1 de julho de 2013 - Prosseguem os protestos em larga escala. O exército dá 48 horas a Morsi para atender às exigências da oposição

2 de julho de 2013 - Os militares revelam alguns pontos do plano para o caso de Morsi não responder ao ultimato: substituir o Presidente com uma administração interina, cancelar a constituição e convocar eleições dentro de um ano. À noite, Morsi garante que não se demite

3 de julho de 2013 - Termina o prazo.