Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Australiana desiste das legislativas depois de série de gaffes em entrevista

Mundo

  • 333

O país Islão, o livro sagrado "haram" e um sistema de saúde que só vai entrar em vigor em 2016, mas que "de momento está a funcionar". Estas são apenas algumas das gaffes cometidas por uma jovem política australiana, cuja carreira durou pouco mais de 48 horas. VEJA O VÍDEO

Stephanie Banister era candidata a deputada pelo partido nacionalista One Nation mas desistiu da candidatura depois de ser insistentemente ridicularizada nos media e nas redes sociais. Em causa está uma série de gaffes que a jovem, de 27 anos, cometeu numa única entrevista, quando era candidata há apenas 48 horas.

Em entrevista ao Channel Seven, Stephanie Banister referiu-se ao Islão como um país e chamou "haram" ao Corão.

Sobre um novo sistema de saúde para cidadãos com deficiência, que vai entrar em vigor em 2016, a candidata afirmou que "está a funcionar, de momento".

Mas as gaffes sobre religião não se ficaram pelo islamismo. Referindo-se aos judeus, declarou que "não estão sob o haram. Têm a sua própria religião que segue Jesus Cristo" (quando, na verdade, os judeus, ao contrário dos cristãos, não vêem em Cristo o messias).

O líder do partido, Jim Savage, garante que Banister continua a ter o seu apoio político, mas, de declarações aos jornalistas, anunciou que esta retirou a sua candidatura.

As gaffes já valeram a Stephanie Banister a alcunha de "a Sarah Palin da Austrália", em referência à candidata à vice-presidência dos EUA em 2008.