Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Aumentam suspeitas de que rebeldes sírios usaram gás sarin

Mundo

  • 333

Os rebeldes sírios recorreram à utilização de gás sarin. Esta é, pelo menos, a convição de Carla del Ponte, da comissão de inquérito da ONU sobre as violações dos Direitos Humanos na Síria. VEJA AS FOTOS

Benfica 0 - 2 Barcelona
1 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Benfica 0 - 2 Barcelona
2 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Benfica 0 - 2 Barcelona
3 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Benfica 0 - 2 Barcelona
4 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Benfica 0 - 2 Barcelona
5 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Benfica 0 - 2 Barcelona
6 / 9

Benfica 0 - 2 Barcelona

Galatasaray 0 - 2 Braga
7 / 9

Galatasaray 0 - 2 Braga

Galatasaray 0 - 2 Braga
8 / 9

Galatasaray 0 - 2 Braga

Galatasaray 0 - 2 Braga
9 / 9

Galatasaray 0 - 2 Braga

"De acordo com as provas que recolhemos, os rebeldes utilizaram armas químicas, fazendo uso do gás sarin", disse a ex-Procuradora do Tribunal Penal Internacional numa entrevista à Rádio Suíça italiana na madrugada desta segunda-feira.

A responsável das Nações Unidas adiantou que chegou aquela conclusão depois de várias entrevistas com médicos e vítimas sírias, agora refugiadas nos países vizinhos.

O porta-voz do Free Syrian Army garante, no entanto, que os rebeldes não possuem quaisquer armas não convencionais nem capacidade para usar armas químicas.

"Mais importante que isso, não aspiramos a ter [armas químicas] porque vemos a nossa batalha contra o regime como uma batalha por um estado democrático livre", assegura o porta-voz, sublinhando que o "armamento químico é proibído legal e internacionalmente".