Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

As perguntas mais estranhas em entrevistas de emprego

Mundo

  • 333

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, muitos responsáveis pela seleção dos candidatos recorrem a perguntas invulgares. Saiba que a resposta à questão: "quantas moedas de um cêntimo cabem nesta sala?", por exemplo, pode ser decisiva

Pode ser e foi, neste caso, decisiva para um candidato que concorria a uma vaga num banco de investimento, em Londres. Confrontado com a pergunta, começou a fazer contas, até conseguir avançar um número. Não ficou com o emprego. O caso, relatado pela BBC, ilustra bem a afirmação de Claire McCartney, do Chartered Institute of Personnel and Development (CIPD): "É muito difícil as pessoas destacarem-se se só respondem questões de rotina."  E à pergunta dos cêntimos, o banco não estava à espera de uma resposta certa, mas de alguém que  tivesse confiança suficiente para convencer os mercados de que estava certo.

A BBC falou com dois especialistas em recrutamento para reunir algumas das questões que podem ser, atualmente, colocadas aos candidatos a um emprego:

  • Como é que se põe uma girafa no frigorífico?

Não é imaginação. Esta pergunta foi mesmo feita a um candidato a operador de mercado num banco de Londres. "Esta pergunta testa as habilidades criativas do candidato, incluindo a forma como propõe soluções para desafios difíceis e menos comuns", avalia Rusty Rueff, especialista em carreiras do site de empregos britânico Glassdoor.

Sugestão de resposta: "Para poder responder, poderia dar-me mais pormenores, por exemplo, sobre o tamanho da girafa? E de que tamanho é o frigorífico? Neste país, é ilegal matar girafas?"

O especialista explica que mostrar que precisa de mais factos antes de tirar uma conclusão pode ser uma vantagem, pelo que a resposta poderia continuar: "Se a girafa puder morrer, então encaixá-la dentro do frigorífico depende mais de retirar o que está lá dentro e das ferramentas que puder utilizar". 

  • Preferia lutar contra um pato com o tamanho de um cavalo, ou contra 100 cavalos do tamanho de patos? 

Colocada numa entrevista para uma vaga numa empresa ligada à extração mineira, esta questão, considera John Lees, autor do estudo Job Interviews: Top Answers to Tough Questions, "parece estranha, mas é uma forma bem-humorada e criativa de testar a sua dedução objetiva. "A sua escolha é bem menos importante do que o processo que revela a sua resposta".

Sugestão de resposta: Raciocine em voz alta: "Ok, reconheço que ambos podem matar-me, mas eu começaria a pensar sobre o quão agressivo cada animal pode ser. Cavalos podem morder e dar coices, e mesmo que sejam pequenos, em grupo, não haveria forma de escapar".

  • De quantas formas posso retirar uma agulha de um palheiro? 

"É outro exemplo de um entrevistador a testar a habilidade do candidato para resolver problemas de maneira criativa", esclarece Rueff sobre esta pergunta numa entrevista para um emprego de informática num banco internacional na capital britânica.

Sugestão de resposta: "O que podemos ver, podemos encontrar. Neste caso, porque não colorir o palheiro de uma cor que facilitasse a visão da agulha? Se eu pudesse transformar o palheiro para ficar verde, azul ou roxo, o prateado da agulha ficaria muito mais visível.".  John Lees tem sugestões mais diretas: "Se a agulha é feita de metal, um imã poderia ser uma ideia. Ou então poderia simplesmente queimar a palha, e a agulha resistiria". 

  • O que faria se ganhasse 1 milhão de euros? 

"Como essa questão foi feita numa importante empresa de contabilidade", explica Rusty Rueff, "a pergunta provavalmente é mais voltada para testar as capacidades de planeamento do candidato a curto e longo prazo. 

Sugestão de resposta: "Ganhar 1 milhão de euros seria, sem dúvida, muito bom, mas eu teria de pensar melhor sobre todas as minhas opções e também avaliar como este dinheiro seria tributado antes de o gastá-lo. Seria bom pensar em investir o dinheiro, em quanto poderia doar para a caridade e também se poderia usar uma parte para festejar. Mas, caso esteja a ficar preocupado, eu continuaria a trabalhar!"

  • Como explicaria o Facebook à sua avó? 

A pergunta foi feita durante uma entrevista para a vaga de executivo de vendas numa empresa de software em Londres. Aqui, para Rueff, "o entrevistador quer testar se o candidato consegue explicar uma ideia de uma forma mais relevante e significativa para o utilizador final".

Sugestão de resposta: "A minha avó usa a internet mas não sabe nada sobre redes sociais. Então, neste caso, eu diria: 'Avó, eu sei adoras manter contato com os teus amigos e família e que também adoras usar a internet para encontrar novas informações. Há um site chamado Facebook que te permite tanto ligares-te aos amigos e familiares online, como seguir empresas e organizações que gostes, para estares a par dos seus últimos lançamentos. Queres que te mostre?'"