Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Apesar do pedido do fundador da Hustler, atacante foi mesmo executado

Mundo

  • 333

Reuters

Joseph Franklin, condenado à morte por homicídio - e que confessou ter atirado contra o empresário de pornografia Larry Flynt em 1978, deixando-o paralítico - foi executado quarta-feira, no Missouri

O condenado, de 63 anos, foi executado quarta-feira pelo homicídio de Gerald Gordon, à saída de uma sinagoga, em 1997. Joseph Franklin tinha sido condenado - e confessado - vários outros crimes, mas foi este que lhe valeu a pena de morte.

Entre os crimes admitidos por Franklin conta-se ainda o ataque ao fundador da revista Hustler, Larry Flynt, em 1978, que o deixou paralisado da cintura para baixo. O ataque terá sido motivado pela fúria de Joseph Franklin ao ver uma imagem de sexo entre pessoas de raça diferente na revista. Esta semana, o empresário veio a público pedir que não fosse consumada a execução.

Segundo a Associated Press, o condenado, que recusou dizer as "últimas palavras", foi executado com cinco gramas de pentobarbital. Após a administração, respirou profundamente algumas vezes antes de parar por completo de respirar.

O advogado de Franklin tinha interposto três recursos diferentes: um em que defendia a suspensão da execução alegando que o seu cliente era doente mental, outro alegando falhas nas instruções ao júri quando foi condenado à morte, e um terceiro levantando dúvidas sobre o uso do pentobarbital.