Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

787 Dreamliner proibido de voar nos EUA, Japão e Índia

Mundo

  • 333

A possibilidade de o mais recente avião da Boeing ter defeitos de fabrico levou as autoridades aeronáuticas norte-americanas, japonesas e indianas a suspender as operações deste tipo de aparelhos. A Boeing reitera que o 787 Dreamliner é seguro

A construtora aeronáutica norte-americana Boeing reiterou na quarta-feira que o seu avião 787 Dreamliner é seguro, depois de as autoridades dos Estados Unidos terem ordenado a suspensão das operações do avião por razões de segurança.

"Estamos confiantes de que o 787 é seguro", declarou a Boeing em comunicado ao salientar que adoptará "todas as medidas necessárias nos próximos dias para garantir aos clientes e passageiros a segurança do 787 e para que os aviões voltem a voar".

A Boeing lamentou as "consequências dos recentes acontecimentos sobre os planos de voos" dos seus clientes e os inconvenientes que causaram aos clientes e passageiros, acrescenta a nota.

Japão, EUA e Índia suspendem 787

O Governo japonês informou que os aviões Boeing 787 de companhias aéreas nipónicas vão ficar em terra até que a segurança dos seus equipamentos seja garantida.

"Na sequência da decisão da Administração Federal de Aviação norte-americana (FAA), os Boeing 787 não serão autorizados a descolar [no Japão] até que a segurança das baterias seja garantida", declarou o vice-ministro dos Transportes japonês, Hiroshi Kajiyama.

As autoridades norte-americanas decidiram suspender as operações dos seis 787 da United Airlines perante a possibilidade de as suas baterias de lítio se incendiarem, depois de as duas maiores companhias aéreas japonesas e principais compradoras do Dreamliner terem tomado a mesma decisão depois de uma aterragem de emergência de um desses aviões no Japão na quarta-feira.

As autoridades de aviação indianas ordenaram hoje à Air India a suspensão das operações dos seus aviões Boeing 787, modelo norte-americano que sofreu várias avarias nas últimas duas semanas.

"Pedimos à Air India para deixar em terra os seus seis Dreamliners, depois de termos recebido uma recomendação da Autoridade Federal de Aviação norte-americana por razões de segurança", declarou o diretor geral de aviação civil da Índia, Arun Mishra, citado pela agência AFP.

A Air India adquiriu 27 Dreamliner à Boeing em 2005, tendo o primeiro avião chegado a Nova Deli em setembro de 2012.