Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Utilizadores do Twitter acreditam que a tiara escolhida pela rainha durante a visita de Trump ao Reino Unido tinha um significado oculto 

Mundo

Isabel II recebeu o presidente americano e a primeira-dama para um banquete no Palácio de Buckingham com uma tiara incrustada de rubis – que, segundo a tradição, protege quem a usa de “doenças” e do “mal”

A ocasião era formal e para tal a monarca escolheu um vestido creme e juntou-lhe a faixa azul da realeza, finalizando com uma tiara de origem birmanesa que, segundo o site da Royal Exhibitions, confere uma proteção especial a quem a usa.

"O número de pedras representa o número de doenças que o povo birmanês acredita que podem afligir o corpo humano", diz a explicação. “Acredita-se que o rubi tem tais propriedades que podem proteger não só das doenças em geral mas também do mal que assola o mundo.”

Daí que, rapidamente, se tenha chegado à conclusão de que a rainha escolhera aquela tiara de forma a proteger-se do presidente dos EUA.

"Essa é a tiara rubi birmanesa, projetada pela própria rainha em 1973 usando gemas da sua coleção. É feita de 96 rubis que foram lhe foram oferecidos pelo povo da então Birmânia como uma proteção simbólica contra a doença e o mal. E para a usar quando entendesse”, lê-se num dos tweets.

"A rainha menciona repetidas vezes que sua tiara é a BURMESE RUBY TIARA na esperança de que Trump faça o caminho de volta para casa," diz outro.

A monarca é conhecida por ser muito cuidadosa ao escolher as suas joias de acordo com o seu significado. Já em julho passado se especulara que a rainha zombara silenciosamente de Trump durante a sua visita ao Reino Unido, usando uma pregadeira que lhe tinha sido oferecida pelo ex-presidente Barack Obama e pela ex-primeira-dama Michelle Obama.

CONHEÇA A NOVA EDIÇÃO DIGITAL DA VISÃO. LEIA GRÁTIS E TENHA ACESSO A JORNALISMO INDEPENDENTE E DE QUALIDADE AQUI

  • A rainha de 13 presidentes, com muitas gaffes pelo meio

    Mundo

    Donald Trump inicia hoje uma visita oficial ao Reino Unido que promete ser fértil em polémicas. Depois do que aconteceu em julho de 2018, quando o 45º Presidente dos EUA foi apupado por mais de 200 mil pessoas nas ruas de Londres, Isabel II já deve estar preparada para o que a espera. Afinal, há praticamente sete décadas que ela priva com os inquilinos da Casa Branca e quase todos cometeram deslizes protocolares. Fotogaleria com momentos históricos