Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"Foi a coisa mais difícil que testemunhei em toda a minha carreira": a cena do documentário da Netflix que chocou o mundo

Mundo

O segundo episódio da série da Netflix "O Nosso Planeta" mostra várias morsas a morrerem, alegadamente devido às alterações climáticas, e a cena chocante já deu que falar

"O Nosso Planeta" estreou na Netflix no início deste mês e já deu que falar devido à cena final do segundo episódio.

Esta série documental sobre a vida selvagem, com oito episódios de cerca de 50 minutos, foi muito bem recebida, não apenas devido às paisagens e às imagens de animais muito raros, como também pela forma como pretende consciencializar para a triste verdade sobre o impacto do Homem na biodiversidade.

As imagens que têm dado que falar, e que apareceram no episódio "‘Mundos gelados", foram filmadas no outono de 2017, no momento em que um grupo de mais de 200 morsas - a maior concentração destes animais na Terra - atingiu o topo de um penhasco no estreito de Bering, que separa o Alasca da Rússia.

No episódio, pode observar-se que, nesse estreito, onde mal se conseguem mexer e onde morrem, muitas vezes, esmagadas, sempre que as morsas têm de descer as encostas para arranjarem alimento, acabam por tropeçar e cair dos penhascos. Nas imagens, uma morsa cai de um penhasco com 79 metros de altura, morrendo.

Isto não aconteceria caso houvesse neve, já que, dessa forma, as morsas conseguiriam caminhar até à base da montanha em segurança.

Apesar de este epsisódio se focar no grande impacto que as alterações climáticas provocam nos habitats de ursos polares, focas, pinguins e morsas, são estas últimas que estão em destaque, devido à forma trágica como morrem.

Em entrevista ao The New York Times, a produtora do documentário, Sophie Lanfear, contou que a cena da morsa foi "a coisa mais difícil" que testemunhou ou filmou em toda a sua carreira. “Eu estava à espera que as morsas caíssem, mas que no final ficassem bem. Não estava preparada para um número tão grande de mortes”, confessou.

Contudo, houve já quem criticasse a relação que o episódio faz entre as alterações climáticas e a morte destes animais. Em 2017, foi relatado que centenas de morsas tinham morrido devido a quedas depois de fugirem de ursos polares. Patrick Moore, ativista e ex-presidente da Greenpeace Canadá, escreveu, no Twitter, que esta foi a "coisa mais ridícula que já associaram às alterações climáticas".

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA