Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Descobertos fósseis de espécie humana até agora desconhecida

Mundo

Getty Images

Os fósseis foram descobertos na Gruta de Callao, na ilha de Lúzon, Filipinas, e pertencem a uma espécie de humanos desconhecida até agora, denominada homo luzonensis

Foram encontrados ossos e dentes relativos a dois adultos e uma criança que viveram há 67 mil anos. Os fósseis, descobertos na Gruta de Callao, na ilha de Lúzon, Filipinas, pertencem a uma espécie de humanos desconhecida até agora, denominada homo luzonensis.

Esta é a conclusão de um estudo publicado, quarta-feira, na revista Nature, que explica que esta nova espécie descoberta viveu ao mesmo tempo que a nossa espécie - homo sapiens- que surgiu há cerca de 300 mil anos. Até agora, eram conhecidas cinco espécies do género Homo: os neandertais, denisovans, hobbits de Flores, erectus e sapiens. Esta passa, assim, a ser a sexta.

Em 2007, foi encontrado, na mesma gruta, um osso do pé, que foi datado de cerca de 67 mil anos. Foram feitas novas escavações em 2011 e 2015 e, nesses trabalhos, a equipa de cientistas, liderada pelo arqueólogo Armand Mijares, da Universidade das Filipinas, encontrou uma dúzia de partes de corpo fossilizadas, incluindo ossos da mão e do pé, um fémur e vários dentes.

Mais recentemente, os arqueólogos compararam os ossos encontrados na gruta com os de outras espécies também humanas e chegaram à conclusão de que a grande diferença entre os homo luzonensis e os homo sapiens é que os primeiros utilizavam os braços e mãos para caminhar, enquanto os segundos usavam, já, apenas as duas pernas.

Além disso, os dedos e ossos dos pés são curvos o que significa que, para esta espécie, a escalada era, ainda, uma atividade importante para a sua sobrevivência.Mas o que torna a espécie descoberta diferente de todas as outras são os dentes pré-molares, explicam os investigadores, que são bastante diferentes daqueles que foram identificados nas outras espécies Homo. Os sete pré-molares e molares são menores e mais simples relativamente aos outros hominídeos, embora algumas características possam ser comparadas ao homo erectus e ao homo sapiens.

Callao Cave Archaeology Project

No estudo, os cientistas sugerem que as características físicas dos homo luzonensis são uma mistura de espécies humanas antigas com características dos humanos atuais. "Se analisarmos as caraterísticas desta espécie uma a uma, vamos encontrar traços de várias espécies de hominídeos, mas se juntarmos todas as caraterísticas, nenhuma outra espécie deste género é semelhante, o que mostra que estamos perante uma nova espécie", explica à CNN Florent Détroit, autor do estudo e antropólogo do Museu Nacional de História Natural de Paris.

Ainda assim, não é possível, para já, fazer uma constituição fidedigna do hominídeo, já que não foram encontrados pedaços do crânio da espécie. Além disso, os investigadores não conseguiram extrair ADN dos fósseis, tornando-se ainda mais difícil determinar onde a espécie se encaixa na tabela evolutiva.

Também permanece um mistério o facto de estes hominídeos terem conseguido chegar à ilha de Luzón, uma vez que está rodeada de mar há dois milhões e meio de anos.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA