Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ator e comparsas fingem ser gangsters para extorquir dinheiro a antigo dono de pizzaria

Mundo

Laurent Hamels/Getty Images

O esquema, que demorou meses a ser planeado, pretendia extorquir o equivalente a 175 mil euros. Um dos membros do grupo é um ator profissional que já representou papéis em várias séries americanas - e deu uso à sua arte

Douglas Singer, Leroy Wilson e Marianne Wood são os protagonistas de uma tentativa de extorsão ao estilo do que é praticado pela máfia - não faltando sequer o capanga de óculos escuros e a arma (falsa).

O episódio teve início no ano passado, quando o dono de uma pizzaria a vendeu a Douglas Singer, 54 anos, por pouco mais de 53 mil euros. Os termos apresentados pela vítima, cuja identidade não foi revelada, implicaram também uma caução de cerca de €13 mil e uma renda de €4 mil mensais.

Marianne Wood e Leroy Wilson entraram em cena alguns meses depois da compra, para cumprir o esquema de extorsão e intimidação que os três tinham vindo a planear.

Marianne, uma mulher de 61 anos, começou por se apresentar como funcionária da organização que representava o negócio de Singer, o comprador da pizzaria, e informou o antigo dono de que tinha uma dívida de mais de €17 mil - alegadamente resultante de renovações e compra de equipamentos novos para o restaurante – para pagar até ao final do dia. Para intimidar a vítima, Wood mostrou-lhe uma fotografia da esposa e dos filhos, e acrescentou que seria do seu interesse, bem como da família, que pagasse. Para garantir que a mensagem era recebida, Leroy Wilson, um ator de 47 anos que se fazia passar por guarda-costas de Marianne (e que já entrou em séries como Curb Your Enthusiasm e The Good Wife), inclinou-se de forma a que o homem visse a arma que carregava.

Assim que o encontro acabou, o antigo dono da pizzaria reportou o acidente às autoridades e foi iniciada uma investigação que acabou por descobrir as mensagens trocadas por eles, enquanto planeavam o esquema.

“Preciso de alguém que acompanhe a minha sócia (Marianne Wood), enquanto ela faz as exigências ao meu senhorio. Só tens que ficar no fundo e mostrar que és musculado”, escreveu Singer, que ainda pediu a Wilson que usasse um fato preto, sem gravata e óculos escuros.

A polícia recorreu a um mandato para poder revistar a casa de Wilson, onde encontrou não só o fato de guarda-costas como também a arma falsa que mostrou à vítima.

“O grupo que tentou agir como se fossem da máfia e intimidou o dono da pizzaria vai agora pagar o preço por aquilo que consideraram ser 'divertido' se fazer”, disse William F. Sweeney, o agente do FBI responsável pelo caso. Cada um dos autores do crime pode ser condenado a 20 anos de prisão.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA