Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Protesto de ativistas veganos acaba em dezenas de detenções na Austrália

Mundo

Kai Schwoerer/ Getty Images

“Criminosos de colarinho verde”, chamou-lhes o primeiro ministro australiano, depois de pedir reforços para que se acabasse com um protesto contra a indústria da carne, na Austrália

Mais de uma centena de ativistas veganos invadiram ruas e matadouros australianos, esta segunda-feira, em forma de protesto contra o que clasificam como as "crueldades" praticadas pela indústria da carne. As correntes humanas formadas pelos que invadiram um dos principais cruzamentos da cidade de Melbourne e outros que se deslocaram a um matadouro em Goulburn foram desfeitas pela polícia, que acabou por deter dezenas de protestantes - 38 em Melbourne e outros 9 em Goulburn.

O primeiro ministro australiano, Scott Morrison, condenou a iniciativa dos “criminosos de colarinho verde” e pediu que fossem chamados reforços para acabar com o protesto. “Esta é outra forma de ativismo que considero ser contra os interesses nacionais. Interesses esses que passam por agricultores poderem praticar agricultura no seu terreno”, explicou à rádio 2BG.

Kristin Leigh, uma das activistas presentes, explicou à televisão pública australiana que o objetivo do protesto era incentivar ao veganismo e travar o abuso animal . “Os animais estão a sofrer de maneiras que a maioria de nós nunca vai imaginar. Não se trata de gaiolas maiores. Trata-se da liberdade dos animais”.

A Austrália é o o segundo país com maior consumo de carne, segundo dados do Fórum Económico Mundial e, já esta segunda-feira, Patrick Hutchinson, chefe executivo do conselho australiano da indústria da carne, pediu que se olhasse para os 99% de australianos que querem consumir carne.

Espalhados por várias zonas previamente combinadas, cem ativistas bloquearam um dos principais cruzamentos de Melbourne e quase 40 decidiram formar uma corrente entre eles num matadouro.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA