Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Síria: um teatro de marionetas no meio dos escombros

Mundo

Bem o podem acusar de encenação: para Waled Rashid o que importa é levar alegria aos meninos que vivem no meio dos escombros

As imagens mostram algo inusitado num cenário destes, onde decorre uma guerra há já oito anos – foi em março de 2011 que rebentaram, um pouco por todo o país, os primeiros protestos contra o presidente Bashar al Assad, marcando o início de um conflito que já fez perto de 400 mil mortes e obrigou milhões de refugiados a deixar o país.

Foram tiradas em Saraqib, uma localidade rebelde na província de Idlib, em tempos considerada o último reduto de liberdade na Síria. Ali há um importante campo de refugiados e a zona foi bombardeada há poucos dias.

Isso não impediu Walid Rashid, um ator sírio que vemos a usar uma peruca amarela, de montar um teatro de marionetas no meio dos destroços. O artista explicou o ato como uma forma de assinalar o Dia Mundial do Teatro – enquanto lembrava ao mundo que a guerra por aqueles lados ainda não acabou... - mesmo que muitos dos comentários às notícias sobre o caso insistam que se trata de encenação pura para enternecer os ingénuos, já que por ali não há mais do que terroristas.

Falta só dizer que isto não foi ato único. Desde 2013 que aquele artista vem percorrendo campos de refugiados para levar teatros de marionetas e também jogos de sombra às crianças sírias, afinal, as maiores vítimas nesta história toda.