Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Muro na fronteira de fora do acordo temporário para acabar com o 'shutdown'

Mundo

Getty Images

O Presidente norte-americano Donald Trump anunciou sexta-feira, na Casa Branca, um acordo temporário sobre o fim do 'shutdown', que prevê um financiamento dos serviços públicos federais até 15 de fevereiro

"Estou orgulhoso em anunciar hoje que chegámos a um acordo para pôr termo ao 'shutdown'", declarou o Presidente, antes de anunciar que vai assinar um texto aprovado por Democratas e Republicanos.

O 'shutdown', que decorre há 35 dias, sendo o mais prolongado da história dos EUA, forçou a suspensão das atividades de várias agências federais e afetou cerca de 800 mil funcionários, muitos a trabalharem sem receber o seu salário.

O acordo a que Trump chegou com o Congresso não inclui os 5,7 mil milhões de dólares (cinco mil milhões de euros) que reclamava para construir um muro na fronteira com o México.

"Estou muito orgulhoso para anunciar que alcançámos um acordo para reabrir o governo", disse, durante uma intervenção na Casa Branca.

O acordo representa uma vitória para a oposição dos Democratas, liderada pela presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, que se tem oposto frontalmente a financiar a barreira.

Contudo, Trump ameaçou que podia fechar o governo novamente, a partir de 15 de fevereiro, quando acabar o financiamento temporário dos serviços federais agora acordado.

"Não temos outra escolha que construir um muro potente ou uma barreira em aço. Se não chegarmos a acordo com o Congresso, ou o governo volta a fechar em 15 de fevereiro, ou vou utilizar os poderes que me estão conferidos para responder a esta emergência", antecipou.

com Lusa

  • 'Shutdown' nos EUA: O que é, porque existe, quem (e o que) afeta o apagão de Trump

    Mundo

    O impasse entre a administração Trump e o Congresso norte-americano já se tornou na maior paralisação de sempre nos EUA: A maioria dos funcionários federais dos EUA estão sem receber salário desde o dia 21 de dezembro e há muitos serviços que encerraram. Saiba o que é, porque existe, quem afeta e quanto pode custar este braço de ferro entre o presidente dos EUA e o Congresso agora dominado pelos Democratas