Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Pescadores dizem ter assistido a últimos momentos do voo MH370 antes de se despenhar

Mundo

Mohd Samsul Mohd Said/ Getty Images

Dois pescadores indonésios garantem ter visto o Boeing o avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde março de 2014, a baixar de altitude como se fosse aterrar no Estreito de Malaca

Em conferência de imprensa, esta quarta-feira, Rusli Kusmin, que segundo as agências internacionais tem cerca de 30 anos, anunciou que estava no seu barco quando assisitiu aos últimos minutos do MH370 no ar, na manhã de 8 de março de 2014.

"O avião vinha do norte, no sentido sul. Não houve explosão, nem barulhos altos dos motores", relatou. A seguir, só viu fumo preto e sentiu um cheiro "ácido" no ar.

Na embarcação de pesca, estavam outros três homens, Eri, Beko e Kadapi. Segundo Kusmin, os quatro dirigiram-se imediatamente ao local do impacto, a cerca de dois quilómetros do ponto onde se encontravam, mas quando lá chegaram o aparelho já se teria afundado.

O pescador adianta que gravou as coordenadas do local do impacto através do sistema GPS de bordo.

Questionado sobre o porquê de falar agora sobre o tema, cinco anos depois, Kusmin assegurou que ele e a sua tripulação contactaram as autoridades da Malásia e da Indonésia mal voltaram a terra, mas sem adiantar mais detalhes. Depois, garante ter-se sentido "humilhado" com a pressão para dar informações por parte de "várias pessoas", que lhe prometiam, até, recompensas. Por isso, os pescadores decidiram, relata, calar-se, até que, agora, uma associação de consumidores os persuadiu a falar.

O presidente da organização, Jacob George, conta que conheceu Rusli em 2017, quando, no âmbito do seu interesse no tema, quis ouvir o seu testemunho, depois de receber várias "narrativas" que não faziam sentido. Mesmo antes de levar por diante a conferência de imprensa, George diz ter recebido "ameaças de morte" caso tentasse prosseguir com a tentativa de contrariar a versão de que o piloto se teria suicidado. "Ele não era esse tipo de pessoa", assegura.

O MH370 desapareceu dos radares com 239 pessoas a bordo.