Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mais de 3.500 picadas por 'caravelas-portuguesas' obrigam a fechar praias na Austrália

Mundo

Caravela-portuguesa

Reinhard Dirscherl /Getty

Mais de 3.500 pessoas foram picadas na Austrália por animais marinhos ( physalia physalis), conhecidos como 'caravelas-portuguesas', semelhantes a medusas, que invadiram a costa norte da Austrália no fim de semana, obrigando ao fecho de praias

A autoridade responsável pela salvamento no mar do estado australiano de Queensland anunciou hoje que as caravelas-portuguesas tinham atingido um total de 3.595 banhistas, alvo de picadas extremamente dolorosas.

Pelo menos quatro praias permanecem fechadas hoje, com os órgãos de comunicação locais a noticiarem uma "invasão" destes animais transparentes, com reflexos azuis.

Apesar dos episódios serem habituais, as autoridades ficaram surpresas com a extensão do fenómeno atual, causada por ventos de nordeste que empurraram os animais marinhos para a costa, potenciando o contacto com os nadadores.

De acordo com o Royal Australian College of General Practitioners, a maior organização profissional de médicos de clínica geral, cerca de dez mil casos são registados anualmente na costa oriental daquele continente.

As picadas das 'caravelas-portuguesas' causam "dor aguda e imediata e reação de inflamação da pele. (...) A dor severa pode durar alguns minutos, mas também horas (...). A picada também pode causar sintomas como náuseas, vómitos e uma sensação de mal-estar geral", segundo aquela organização.

com Lusa