Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Quem emigrar para a Austrália pode ser impedido de ficar nas três maiores cidades

Mundo

Sydney(na foto) é, a par de Melbourne e Brisbane, a escolha da maioria dos imigrantes para morar

Don Arnold\City of Sydney/Getty

Devido à pressão populacional em Sydney, Melbourne e Brisbane o Governo quer limitar o número de imigrantes durante cinco anos

O Governo australiano está a ponderar proibir novos imigrantes de morar nas três maiores cidades do país, Sydney, Melbourne e Brisbane. O ministro das Cidades e Infraestruturas Urbanísticas, Alan Tudge, disse que a moratória de cinco anos se deve ao elevado número de pessoas que habitam nestas cidades e que é necessário aliviar para que haja maior crescimento noutras localidades.

“Se tivéssemos uma melhor distribuição do crescimento, não teríamos a mesma pressão que temos em Melbourne, Sydney e no sudeste de Queensland”, explicou. E acrescentou que tem recebido pedidos desesperados de cidades pequenas por “mais trabalhadores”.

Segundo os dados do Executivo de Camberra, quase 70% das 186 mil pessoas que, no ano passado, entraram na Austrália com vistos, foram para Sydney e Melbourne.

As cidades de Darwin, Perth, Adelaide, Hobart e Camberra (a capital) serão as primeiras a ser recomendadas os imigrantes que queriam trabalhar e tenham a devida formação para os empregos que estão a ser oferecidos.

O ministro disse, ainda, que a região do sul pretende “engordar” “20 mil pessoas por ano e que terá trabalho para todos". "Assim, o emprego está ali”, concluiu.

O Governo vai ajudar as cidades mais pequenas a implementar novas infira-estruturas e tem como objetivo recuperar os cerca de 15 mil milhões de euros que estima estar a perder, anualmente, em atividades económicas devido ao congestionamento populacional das três maiores cidades.