Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Região da Nova Zelândia está determinada a acabar com todos os gatos

Mundo

D.R.

Os gatos, já se sabe, gostam de caçar pássaros. Para proteger as espécies de aves nativas, uma vila costeira neozelandesa não quis meias medidas e tem uma proposta radical: proibir os felinos. Mas, calma! A ideia não é matá-los...

A proposta para "controlo de pragas" do conselho regional do ambiente de Southland, o organismo governamental responsável pela gestão dos recursos naturals da região, prevê que todos os donos de gatos em Omaui tenham de castrar, colocar um microship e registar os seus animais junto das autoridades locais. Depois, quanto esse gato morrer, não podem ter outro.

A medida radical visa proteger a vida selvagem nativa, com os felinos a serem "acusados" de caçar aves, insetos e répteis. "Estão a fazer bastantes estragos", afirmou Ali Meade, responsável pela área da Biosegurança, em declarações ao Newshub

A proposta não está ser bem acolhida pela população, que vai avançar com uma petição, mas conta com o apoio de uma associação local. "A vida selvagem nativa está a desaparecer rapidamente no país e sítios como este, onde as pessoas ainda vivem e gostam e ouvem o cantor dos pássaros são poucos", defende o presidente da Omaui Landcare Charitable Trust, John Collins, ao Otago Times.

Ouvida pelo mesmo jornal, uma residente de Omaui, Nico Jarvis, lembra que os gatos são uma forma de controlar o "intenso problema de roedores na área". "Se eu não posso ter um gato, quase não é saudável para mim viver na minha casa", conclui.