Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"O carro que ia à frente desapareceu e parecia que tinha sido engolido pelas nuvens"

Mundo

Laura Lezza

O testemunho do condutor que conseguiu travar o camião em que seguia a apenas dez metros do abismo depois do colapso da ponte em Génova

Os sobreviventes da ponte Morandi, que colapsou na terça-feira, em Génova, na Itália viveram momentos terríveis e continuam a partilhar as suas experiências dramáticas.

O condutor do camião verde que tem aparecido nas fotografias da tragédia, e que escapou à parte da ponte que colapsou por apenas 10 metros, contou ao jornal italiano Corriere della Sera como conseguiu sobreviver e a forma como agiu.

"Não sei como é possível, mas estou vivo", diz o condutor, que trabalha há cerca de um ano para a Basko, uma cadeia de supermercados. "Estava a chover torrencialmente, e quando um carro me ultrapassou, reduzi a velocidade para manter uma distância de segurança", contou.

Depois disso, relata que sentiu tudo a tremer. "O carro que ia à frente desapareceu e parecia que tinha sido engolido pelas nuvens. Levantei os olhos e vi a torre da ponte a cair", disse.

No momento seguinte, o condutor travou e puxou o travão de mão. "De forma instintiva, ao ver o vazio diante de mim, meti a marcha atrás". Depois de breves momentos dentro da carrinha, o condutor saiu e começou a correr para se afastar da ponte. "Percebi que tinha tudo desmoronado e que tinha de escapar. Vi outros condutores e só lhes disse para fugirem", lembra.

No momento em que foi socorrido, o motorista de 37 anos encontrava-se em choque. Foi levado para o hospital sem qualquer ferimento e teve alta nesse dia, mas psicologicamente não está assim tão bem. “Está abalado, não é uma experiência fácil de se viver" conta ao jornal Annalisa Damonte, a sua chefe. "É uma coisa que ninguém consegue imaginar. Está em segurança, mas foi uma tragédia enorme para toda a gente”, refere.

Até agora, estão contabilizadas 39 mortes e mais de uma dezena de feridos na sequência da queda da ponte. Esta quarta-feira, o governo italiano declarou estado de emergência na região de Ligúria que vai durar um ano.