Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"A esperança nunca termina, já salvamos uma dúzia de pessoas sob os escombros, vamos trabalhar 24 horas por dia"

Mundo

Getty Images

As equipas de resgate continuam a tentar encontrar sobreviventes nos escombros do viaduto que desabou na terça-feira em Génova, na Itália

A ponte, localizada na autoestrada 10 (A10), já era conhecida por apresentar problemas estruturais e os políticos italianos já pediram que os potenciais culpados sejam responsabilizados e punidos. O ministro do Interior, Matteo Salvini, prometeu mesmo que os responsáveis pelo acidente "pagariam, pagariam tudo e pagariam caro". O balanço de mortos é ainda incerto, mas deverá ultrapassar as três dezenas.

Os meios de comunicação italianos, citando fontes do Ministério do Interior italiano, referiram entre as vítimas mortais há três crianças, entre os 8 e os 12 anos.

As equipas de resgate continuam a procurar nos escombros do viaduto sobreviventes com a ajuda de cães. Segundo a proteção civil italiana, contando com todo o pessoal envolvido (bombeiros, polícias, Cruz Vermelha), foram mobilizadas cerca de mil pessoas para os trabalhos de resgate.

"A esperança nunca termina, já salvamos uma dúzia de pessoas sob os escombros, vamos trabalhar 24 horas por dia", disse à agência de notícias AFP um dos responsáveis pelos bombeiros, Emanuele Gissi.