Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O Mundo Aga Khan: Influência planetária

Mundo

Sean Zanni

A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN) emprega 80 mil pessoas em 30 países

A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN) emprega 80 mil pessoas em 30 países. Mas sem a ação de milhares de voluntários não conseguiria implementar e manter os seus projetos, sobretudo nas áreas da saúde e da educação, que não se limitam a apoiar apenas os 15 milhões de ismaelitas

Canadá

Os primeiros ismaelitas chegaram no final dos anos 70, vindos da África Oriental, e hoje são entre 100 e 120 mil. No país há mais de 35 anos, a Fundação Aga Khan estabeleceu muito cedo uma estreita colaboração com o Governo canadiano. Nos próximos três anos, alunos das Academias Aga Khan irão frequentar o programa de verão para jovens empresários da Universidade Ryerson, em Toronto.

Portugal

A comunidade tem entre oito e dez mil pessoas, que começaram a chegar após o 25 de Abril, sobretudo de Moçambique. Lisboa vai ter a primeira sede oficial do imamato e é também na região que deverá nascer em breve a primeira Academia Aga Khan no mundo ocidental – uma escola de elite para mil alunos, entre os cinco e os 18 anos, metade deles com bolsa de estudo.

Tajiquistão

A experiência de trabalhar com povos das montanhas já tem mais de 20 anos. Em 2009, a Fundação Aga Khan criou um programa de poupanças baseado na comunidade que hoje reúne mais de 400 mil membros, 73% deles mulheres, capazes de poupar mais de 13 milhões de dólares por ano.

Suíça

Foi neste país que nasceu a Fundação Aga Khan, em 1967. Hoje, várias agências da AKDN têm pequenas sedes em Genebra. De três em três anos, é também na Suíça que o líder ismaelita entrega o Prémio Aga Khan de Agricultura a obras destinadas às comunidades muçulmanas.

Egito

Os 30 hectares do Parque Al Azhar, criado pela AKDN no centro histórico do Cairo, são um oásis urbano. O projeto não se limita à extensa mancha verde – inclui um programa de formação, onde se ensina restauro e carpintaria.

Paquistão

Os apoios da Aga Khan no país têm mais de 100 anos. Conhecida sobretudo pela sua universidade em Karachi e o trabalho do Fundo Aga Khan para a Cultura em Lahore, a AKDN oferece atualmente uma vasta gama de serviços no Paquistão.

Uganda

Há mais de cem anos que o imamato apoia comunidades em várias regiões. Atualmente, a AKDN aposta sobretudo nos serviços de saúde. Depois de ter criado uma universidade para enfermeiras e parteiras, em Kampala, em 2020 deverá inaugurar um novo hospital universitário, na mesma cidade.

Moçambique

O acordo de cooperação entre a AKDN e o Governo moçambicano já tem 20 anos. As atividades da rede concentram-se na província de Cabo Delgado, uma das mais pobres do país, onde a fundação trabalha com comunidades de 13 distritos. No âmbito do investimento económico, em 2002 foi comprado o mítico Hotel Polana, em Maputo.