Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Trump e Kim assinaram acordo histórico que prevê "desnuclearização completa" da Península Coreana

Mundo

Anadolu Agency/ Getty Images

O Presidente dos Estados Unidos e o líder norte-coreano assinaram esta terça-feira em Singapura "um importante e detalhado documento", segundo Donald Trump, e que permitirá ao "mundo ver uma grande mudança", sublinhou Kim Jong-un

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, reafirmou o compromisso de "desnuclearização completa da Península da Coreia", de acordo com o texto conjunto hoje assinado com o Presidente norte-americano, Donald Trump, na Cimeira de Singapura.

De acordo com a agência France Presse (AFP), que fotografou o documento, o texto não menciona a exigência norte-americana de "desnuclearização completa e irreversível" - a fórmula que significa o abandono completo do armamento e a aceitação de missões de inspeção -, mas reafirma o compromisso anterior, mais vago.

Por outro lado, no mesmo texto, de acordo com a AFP, os Estados Unidos "garantem a segurança da Coreia do Norte".

"O Presidente Trump compromete-se a fornecer as garantias de segurança" à Coreia do Norte, indica a primeira informação sobre o documento conjunto.

Por seu turno, Kim Jong-un referiu que se "virou a página do passado", depois de serem ultrapassados "numerosos obstáculos" para realizar um encontro que é "um bom prelúdio de paz".

Fica por conhecer o calendário do processo, apesar de Donald Trump ter afirmado, quando questionado, que irá começar "muito rapidamente".

O Presidente dos Estados Unidos e o líder da Coreia do Norte reuniram-se hoje, num encontro sem precedentes, na cidade Estado de Singapura.

Kim Jong-un classificou a cimeira como "um encontro e um documento histórico", garantindo que "o mundo verá uma grande mudança".

Já Donald Trump assegurou que "a relação com a Coreia do Norte e a península coreana vai melhorar".

A cimeira histórica entre o Presidente dos Estados Unidos e o líder da Coreia do Norte realizou-se hoje, em Singapura, e começou com um simbólico aperto de mão entre Donald Trump e Kim Jong-un.

Este foi o primeiro encontro entre os líderes dos dois países depois de quase 70 anos de confrontos políticos no seguimento da Guerra da Coreia e de 25 anos de tensão sobre o programa nuclear de Pyongyang.

Esta reunião ocorre depois de, em 2017, as tensões terem atingido níveis inéditos desde o fim da Guerra da Coreia (1950-53), face aos sucessivos testes nucleares de Pyongyang e à retórica beligerante de Washington.

A cimeira começou pouco depois das 09:00 de terça-feira (02:00 em Lisboa), num hotel em Singapura, após uma frenética atividade diplomática em Washington, Singapura, Pyongyang e na fronteira entre as duas Coreias, em que houve anúncios, ameaças, cancelamentos e retratações surpreendentes.

com Lusa