Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Britânicos pouco interessados em celebrar este casamento real

Mundo

Chris Jackson / GettyImages

Quando comparadas às que aconteceram em 2011, durante o casamento de William e Kate Middleton, o número de celebrações de rua planeadas para festejar a união de Harry e Meghan Markle diminuiu em mais de 90%, em algumas zonas do Reino Unido

Os ingleses não parecem estar muito entusiasmados com o casamento real deste sábado, que vai celebrar a união do Príncipe Harry com a atriz Meghan Markle. A prova disso são as festas de rua que, neste caso, não estão a acontecer, comparativamente às que se fizeram por todo o Reino Unido, em abril de 2011, quando o Príncipe William e Kate Middleton deram o nó.

A partir do número de pedidos de encerramento de ruas e estradas recebidos pelo Conselho do Condado de Kent, que foi muito menor, prevê-se que, este ano, haja apenas 14 celebrações, em comparação com as 182 de 2011, neste condado. Esta diferença significa uma diminuição de 92% das festas.

Até ao início de maio, no País de Gales, havia 17 festas de rua organizadas, que levaram ao planeamento do corte de algumas vias. Mas este número não chega, sequer, perto das 200 celebrações que houve, há sete anos, no momento do casamento dos Duques de Cambridge.
Também em Hertfordshire, condado a sudeste da Inglaterra, o número de celebrações diminuiu de forma drástica: de 298, em 2011, para apenas 51, este ano.

Na cidade de Sheffield, só foram organizadas três festas de rua mas, em 2011, a vontade de festejar o casamento real foi maior, com 31 celebrações nas ruas da cidade. "O Príncipe Harry é muito popular e vai casar-se com uma mulher incrível. O que eu acho é que as pessoas estão a olhar para este casamento de uma forma diferente, desta vez", explica, à BBC, Andrew Coombe, Lorde Tenente do condado de South Yorkshire, relativamente à diminuição do número de festas em Sheffield.

Outra explicação dada por Andrew Coombe tem a ver com a final da Taça de Inglaterra, que é disputada este sábado, entre o Chelsea e o Manchester United, que pode fazer com que muitas pessoas fiquem em casa a assitir ao casamento para, depois, poderem ver o jogo. Outras autoridades do governo local dizem que esta diminuição de celebrações pode estar ligada ao facto de Harry não ser herdeiro do trono, ao contrário de William.

Esta indiferença pública relativamente ao casamento real é mantida em Glasgow, na Escócia, mas não é uma exceção deste ano: já em 2011, o Conselho da cidade não tinha recebido nenhum pedido de encerramento de ruas.

Há sete anos, a Local Government Association (Associação do Governo Local) utilizou o número de estradas cortadas para fazer uma estimativa de todas as celebrações que houve no Reino Unido: mais de 5500 eventos celebraram o casamento de William e Kate. Mas, este ano, a associação ainda não conseguiu dar um número aproximado de celebrações deste sábado devido à pouca informação dada pelos conselhos.

Um inquérito realizado pela YouGov, com mais de 1600 pessoas, sugere que 66% dos britânicos não estão interessados no casamento real, e que 60% vão mesmo ingorá-lo e passar um fim-de-semana normal. A percentagem de pessoas que se consideraram muito interessadas neste evento é de apenas 9%