Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Piloto que salvou o Boeing da Southwest com uma janela partida nem devia estar a voar nesse dia

Mundo

Reuters

A piloto, que foi muito elogiada pela calma que manteve depois de um dos motores do avião ter explodido e de uma passageira ter sido parcialmente sugada para fora do aparelho, só estava a trabalhar naquele dia graças a uma troca de última hora

Foi durante a sua participação num programa da ABC News que Tammie Jo Shults, elevada a estatuto de heroína pela forma como aterrou em segurança o voo 1380 da Southwest Airlines, revelou que era o marido, Dean, também piloto, quem devia estar naquele dia aos comandos do Boeing 737-700, que fazia a ligação entre Nova Iorque e Dallas, EUA. Mas, em cima da hora, o casal tinha trocado voos para que Tammie pudesse assistir a uma competição desportiva do filho, na escola.

"Troquei com o meu marido. Não volto a fazer trocas com ele", brincou a profissional.

A piloto, de 56 anos, tem sido muito elogiada pela calma que transpareceu depois de, no dia 17 de abril, o avião que pilotava ter perdido um motor em pleno voo. A explosão partiu uma janela e uma passageira, Jennifer Riordan, chegou a ter metade do corpo fora do avião. Um trabalho conjunto a bordo permitiu puxá-la para dentro de novo, mas Jennifer acabaria por morrer.

À ABC, Tammie recorda que o voo decorreu com normalidade durante os primeiros 20 minutos. Foi então que se ouviu "um grande estrondo" - era o motor a explodir e, a partir daí, tudo se precipitou: os destroços atingiram uma janela, a cabine despressurizou, caíram as máscaras de oxigénio e o avião inclinou-se para um dos lados.

A única forma de comunicar com o co-piloto, Darren Ellisor, veterano da força aérea, era por gestos, devido ao barulho. Mas, ainda assim, nenhum dos dois temeu pela segurança do aparelho.

"Desde que se tenha altitude e ideias, está tudo bem", comentou ainda.